DA REDAÇÃO: Após um dia técnico da CBOT, soja encerra em alta

Publicado em 05/09/2013 17:37 e atualizado em 05/09/2013 20:03
887 exibições
Soja: para analista, negociações em Chicago foram mais técnicas nesta quinta-feira(05) com investidores vendendo milho e comprando soja. Nesse momento, em função do clima, o mercado da soja está mais atrativo aos participantes

Nesta quinta-feira (5), a soja encerrou em alta na Bolsa de Chicago, após uma manhã de queda nos preços. Já o milho fechou em baixa, com quedas de 4 a 8 pontos nos principais vencimentos.

De acordo com Steve Cachia, analista da Cerealpar, hoje (5) foi um dia técnico, com os principais investidores vendendo milho e comprando soja frente a um quadro mais sensível para a soja norte-americana do que para as demais commodities agrícolas.

Na próxima quinta-feira (12), o USDA divulga um novo relatório de oferta e demanda e, o que aconteceu nas últimas semanas em relação ao clima nos EUA, pode trazer algumas mudanças. “Nesse relatório o USDA reflete a situação das lavouras até o dia 1 de setembro e nesse período o mercado sentiu os efeitos da pequena seca que ocorreu no país e, em função disso, deve haver alguma alteração no nível de produtividade da safra. Porém, não deve ocorrer uma grande quebra, mas para a soja qualquer perda deixa o mercado mais sensível, já que não há uma situação folgada nos estoques e existe uma forte demanda mundial”, afirma Cachia.

Nesse momento, o mercado tende a continuar indefinido, mas com uma tendência de alta. No entanto, mais a frente vem uma pressão sazonal devido à entrada da safra nova e do início do plantio na América do Sul, que deve apresentar uma área recorde. Contudo, Cachia diz que nesse atual nível de preços o mercado ainda tem espaço para ceder e os preços não devem ficar tão baixos. Após o mercado absorver a entrada da safra nova, as cotações têm força para reagir frente a uma demanda aquecida e com muitas exportações dos EUA.

Por outro lado, a safra de milho já não tem mais tantos riscos quanto à da soja e, para voltar a ter uma situação de aperto na oferta, deveria ocorrer uma grande quebra na produtividade da safra, mas isso não deve acontecer este ano. Com isso, segundo Cachia, o milho continuará pressionado, podendo subir apenas em alguns momentos puxado por altas da soja.

Por: Aleksander Horta e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário