DA REDAÇÃO: Soja encerra em baixa na CBOT

Publicado em 09/09/2013 16:49 e atualizado em 09/09/2013 20:49
623 exibições

Nesta segunda-feira (9), a soja encerrou em baixa na Bolsa de Chicago, com o vencimento setembro caindo mais de 32 pontos.

De acordo com Vinicius Ito, analista da Jefferies, isso se deve ao preço do mercado físico norte-americano para disponibilidade imediata que estaria bem mais baixo: “Nas principais localidades dos EUA os compradores teriam abaixado consideravelmente o seu interesse de compra na cotação com a expectativa de que haja taxas de produtividade não tão baixas ou potencialmente até melhores do que o mercado estimou recentemente, o que acabou pressionando um pouco o físico e também Chicago.

Na próxima quinta-feira (12) o USDA divulga um novo relatório no qual é possível mostrar dados de uma safra menor, mas, posteriormente, o Departamento de Agricultura no relatório de novembro pode aumentar esses números e os preços poderiam acompanhar isso, ou seja, sobem inicialmente e depois voltam a cair, confirmando uma safra não tão pequena.

Os produtores brasileiros avançaram a comercialização enquanto Chicago estava em alta e o dólar elevado. Esta semana eles esperam a divulgação do relatório do USDA na expectativa de preços mais altos. Vinicius afirma que ainda é possível que os preços sejam amigáveis se o USDA trouxer uma previsão menor para a safra em relação a sua última estimativa. O mercado já aguarda uma safra menor, mas a questão é o quão menor: “O mercado está mais preocupado com a produtividade, já que é improvável que o USDA mude agora a área de plantio, apesar de ainda haver possibilidade de redução nessa área”.

O mercado espera uma queda na produtividade para 46,72 sacas por hectare, o que resultaria em uma safra de 1,42 bilhões de sacas, sendo que no último mês a estimativa de produtividade era de 48,3 sacas por hectare, com uma safra de 1,47 bilhões de sacas. Com isso, se reduziria 45,36 milhões de sacas na produção, o que faria diferença no estoque final, que passaria de 99,79 milhões de sacas para 74,84 milhões de sacas. Ou seja, mesmo com uma redução também na demanda, a safra e o estoque devem cair segundo a expectativa média para o relatório do USDA e o mercado aguarda a divulgação desses números.

Por: Aleksander Horta e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário