DA REDAÇÃO: Exportação mantém preços firmes para o boi gordo

Publicado em 10/09/2013 13:13 e atualizado em 10/09/2013 15:29
489 exibições
Boi: Cotações estão firmes, mas preços para a exportação estão melhores. Demanda mundial é grande e Brasil é o único país com chances de ampliar a oferta de carnes e atender outros mercados. Produtor deve investir em tecnologias e na qualidade da carne para obter bons resultados.

Os preços do boi gordo estão firmes e com exportações favoráveis. A arroba no Brasil convertida em dólar faz com que outros países tenham uma carne mais cara do que a brasileira. Com isso, frente ao início da recuperação econômica da Europa e dos EUA, a demanda começa a aumentar, principalmente por parte da Ásia, que hoje é o grande pólo de consumo mundial.

De acordo com João Pedro Cuthi Dias, Consultor Agropecuário da BM&F Bovespa, o Brasil é o único país do mundo que tem chance de ampliar a oferta de carne e atender esses mercados, uma vez que o país tem estrutura industrial e de produção e carne de qualidade, com boas características sanitárias.

No mercado interno, o grande fator que segurou os preços e continua mantendo-os em um valor razoável para a arroba do boi é a exportação, caso contrário os preços do boi gordo seriam bem menores.

No entanto, com a média que o Brasil produz, de 3 arrobas por hectare, é inviável para os pecuaristas continuarem no processo. Porém, João Pedro afirma que os produtores devem investir em tecnologia, produzir uma carne boa, brigar por preço e se unir aos demais pecuaristas, com isso há potencial para aumentar a produção de 3 arrobas por hectare para 9 arrobas por hectare, mas para isso é necessária a comercialização em conjunto.

Por: João Batista Olivi e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário