DA REDAÇÃO: Nesta terça-feira (17), soja encerra com cotações mistas na CBOT

Publicado em 17/09/2013 18:53 e atualizado em 17/09/2013 19:41
462 exibições
Soja: dia de fechamento misto em Chicago com primeiros vencimentos em baixa, refletindo a proximidade da colheita da nova safra americana. Com a chegada da produção ao mercado, preços podem recuar um pouco mais.

Nesta terça-feira (17), a soja fechou com cotações mistas na Bolsa de Chicago. Os primeiros vencimentos, novembro e janeiro, encerraram com quedas em torno de 5 pontos, já os vencimentos mais longos, março e maio, que marcam a entrada da safra brasileira, tiveram levas altas, com ganhos em torno de 3 pontos.

De acordo com Samuel Garcia, analista da Commcor, o mercado começou o dia trabalhando em alta devido aos números divulgados pelo USDA, que reduziu a área de plantio nos EUA, mas, posteriormente, olhando o clima, o mercado vendeu com a expectativa de que a produtividade possa melhorar frente às chuvas nos EUA e houve uma pressão de vendas, principalmente nos vencimentos mais curtos.

Caso o clima nos EUA continue favorável e não prejudique mais a safra do país, no momento em que a colheita tiver início ou até um pouco antes, as cotações podem recuar. Após esse período, o mercado olhará o plantio da América do Sul, porém, por enquanto, tudo indica que o Brasil irá ter um bom plantio, mas, mesmo assim, nesse momento o foco do mercado ainda é os EUA.

Garcia aconselha o produtor a ficar atento ao clima e a produção norte-americana e depois ao Brasil: “Os preços da soja estão bons e remunerando para quem pode travar, porém subirão ainda mais apenas se houver uma quebra na safra norte-americana porque com o plantio da América do Sul, caso não haja problemas climáticos, ocorrerá pressão nos preços. Com isso, o produtor deve ir travando pelo menos os custos de produção e aproveitando as oportunidades para fazer média”.

Por: Aleksander Horta e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário