DA REDAÇÃO: Com poucos investimentos, pecuária perde fôlego no Brasil

Publicado em 18/09/2013 14:43 e atualizado em 18/09/2013 16:12
593 exibições
Boi: Apesar de preços firmes no mercado físico brasileiro, produtor sofre cada vez mais com o aumento dos custos de produção. Com pouca capacidade de investimento, pecuária está perdendo fôlego.

Apesar de preços firmes para o boi gordo no mercado físico brasileiro, os produtores sofrem cada vez mais com o aumento dos custos de produção. Os preços oscilam muito de acordo com a época do ano e, no atual período, em que há pouco pasto, o preço aumenta devido à baixa oferta.

Porém, historicamente, ao longo dos últimos 5 anos os preços tem mantido os patamares praticados hoje , enquanto os custos de produção tem aumentado bastante, ou seja, há uma grande diferença entre o preço histórico do boi, de 90 e 100 reais por arroba dependendo do período do ano, mas o custo de produção praticamente dobrou e, com isso, a renda do produtor está diminuindo, assim como os investimentos na pecuária.

Segundo Mozart Carvalho de Assis, Vice-Presidente da FAEG, atualmente o pecuarista tem pouca capacidade de investimento, com isso ele não tem condição de melhorar a sua pastagem ou de investir na aquisição de touros melhores: “A cada dia a pecuária perde fôlego e há uma grande concentração dos frigoríficos, o que diminui a renda do produtor rural porque eles dominam os preços e a pecuária vem perdendo espaço para outras atividades da agricultura, com isso é necessário que haja rapidamente incentivos para o setor, caso contrário a atividade corre sérios riscos”.

Para que esse cenário mude é necessário que haja investimentos nos pequenos frigoríficos, uma vez que, geralmente, os recursos do governo são apenas para os grandes grupos frigoríficos, enquanto os pequenos vão fechando, com pouca capacidade de negociação, ou são adquiridos pelos grandes.

Por: Kellen Severo e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário