DA REDAÇÃO: Sem pressão na demanda, café continua com preços em tendência negativa

Publicado em 23/09/2013 13:19 e atualizado em 23/09/2013 19:11
427 exibições
Café: Leilões de opções do governo ainda não estimulam melhora dos preços em Nova York e cotações seguem recuando. Para analista, a 3 milhões de sacas comercializadas nas últimas operações da Conab são consideradas uma quantidade muito baixa para a atual situação do mercado. Assim, preços já batem nos piores patamares em 4 anos e meio.

No mercado internacional a demanda por café por enquanto reage apenas em função do clima e a questão de aperto na oferta devido aos leilões de opções no Brasil ainda não atingiu as negociações. Com isso, enquanto ainda há tranqüilidade nas compras, a demanda não reage aos leilões.

Segundo Gil Carlos Barabach, analista da Safras & Mercado, os compradores consideram que 3 milhões de sacas é pouco para mexer no mercado. Além disso, eles não têm tido dificuldade para comprar café do Brasil ou de outros lugares, o que traz um efeito negativo para os preços.

“O potencial de retirada de 3 milhões de sacas de café do mercado ainda não teve um efeito prático e sem isso a demanda continua trabalhando e olhando a situação econômica principalmente da Europa, a qual ainda é incerta”, afirma Gil.

O analista aconselha aos cafeicultores a aproveitarem os leilões de opções para garantir preço: “Em curto prazo, para aquele produtor que precisa fazer caixa, é melhor optar pela venda do café mais barato porque há uma tendência de valorização dos cafés melhores, com isso é mais favorável segurar o café de melhor qualidade para tentar encontrar melhores preços mais a frente”.

Por: Kellen Severo e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário