DA REDAÇÃO: Mercado passa por movimento técnico e soja fecha com leves altas na CBOT

Publicado em 25/09/2013 10:58 e atualizado em 25/09/2013 14:11
281 exibições
Soja: Mercado opera de forma técnica e se mostra sem direção na Bolsa de Chicago. Analistas e investidores aguardam os primeiros resultados efetivos da nova safra americana, a qual começou a ser colhida há poucos dias. Assim, grau de incerteza sobre essa temporada permanece alto.

Nesta quarta-feira (25), a soja encerrou o pregão eletrônico da Bolsa de Chicago com leves altas, dando continuidade ao fechamento positivo registrado ontem (24).

Segundo Fernando Pimentel, da Agrosecurity Consultoria, o mercado está passando por um movimento técnico de correções após as baixas registradas na última sexta (20) e segunda-feira (23), mas se mostra sem direção.

A colheita da safra de soja dos EUA já teve início e hoje (25) e amanhã (26) a previsão é de clima seco, o que irá favorecer a entrada das máquinas. A produtividade da safra ainda tem um elevado grau de incerteza, mesmo com as chuvas durante o último final de semana que tiveram uma boa cobertura, grande parte das lavouras já haviam sido afetadas pela seca, o que interfere nos preços, mas os próximos relatórios do USDA devem dar um tom ao mercado.

Pimentel afirma que os analistas fundamentalistas acreditam que com a entrada da safra norte-americana o preço da soja deveria se manter nos atuais patamares ou com um viés de alta em médio e longo prazo, uma vez que a formação de preços internacional está relacionada com os estoques nos EUA porque Chicago é uma bolsa doméstica e os estoques no país não poderão ser altos devido a uma demanda, que seguiu forte, e ao fato de que a safra nova já está cerca de 65% vendida. Com isso, os estoques tendem a ser baixos e isso mantém o mercado pressionado.

Porém, ainda existe todo um mercado de clima para ser construído em relação à safra da América do Sul, embora haja indicações de um aumento na área de plantio do Brasil e da Argentina. Portanto, de acordo com Pimentel, esse jogo de equilíbrio do mercado tem uma tendência de alta, principalmente com a quebra da safra dos EUA. Já o mercado técnico em curto prazo pode chegar a US$ 12,50/bushel no vencimento março em função de uma pressão sazonal com a entrada da safra norte-americana.

Por: Carla Mendes e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário