DA REDAÇÃO: Governo cria Programa Mais Carne para aumentar produtividade da carne bovina brasileira

Publicado em 25/09/2013 14:13 e atualizado em 25/09/2013 20:39
560 exibições
Boi: Governo Federal cria programa "Mais Carne" para aumentar produtividade e lucratividade da carne bovina brasileira. Entre as propostas, aumento da segurança e da qualidade do produto, além de ampliação das exportações e melhoramento genético dos bovinos de corte.

O governo federal está criando um plano para aumentar a produtividade e a lucratividade da carne bovina brasileira e representantes do setor pecuário ouviram as sugestões apresentadas pelo governo federal.

O Programa Mais Carne será criado visando 4 objetivos principais: Desenvolver o melhoramento genético dos bovinos de corte, ampliar o mercado nas exportações, incorporar tecnologia, além de dar mais segurança e qualidade aos produtos que chegam ao consumidor.

O Chefe da Associação de Gestão Estratégica do Ministério da Agricultura, João Cruz, afirma que o governo está em um momento de construção e está recolhendo as contribuições do setor, analisando e tentando incorporar na proposta. Por outro lado, o setor destaca que há atraso no repasse de recursos prometidos pelo Ministério da Agricultura aos estados, o que poderá atrapalhar os objetivos do programa, que é o de assegurar a qualidade dos produtos.

Segundo o Presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Carne Bovina, Antenor Nogueira, o setor irá correr um risco muito grande em relação a doenças, a pragas de vegetais e ao serviço de inspeção federal que não tem dinheiro.

A atribuição pelas ações de defesa agropecuária, antes de responsabilidade do Ministério da Agricultura, foi repassada aos estados há 2 anos. O acordo previa a destinação de 160 milhões de reais em 5 anos aos governos estaduais. No entanto, Nogueira diz que este ano o setor ainda não teve sinal verde, mesmo com todos os estados apresentando os seus pedidos: “Precisamos saber onde está o dinheiro da defesa e achar uma forma de sensibilizar o outro lado, que é o Ministério da Fazenda e do Planejamento”.

Por: Sebastião Garcia, Janaína Camelo e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário