DA REDAÇÃO: Após leilões de opções, preço do café ainda não reage

Publicado em 30/09/2013 13:08 e atualizado em 30/09/2013 17:48
470 exibições
Café: Leilões de opção são considerados uma medida tardia para produtores de arábica. Preços ainda estão muito baixos e concorrência com o conilon vem aumentando. Mercado do arábica pode ser reduzido, prejudicando a economia, principalmente, de pequenos cafeicultores.

Na última sexta-feira (27), ocorreu o terceiro leilão de opção para o café realizado pela Conab e, mesmo assim, os preços do grão continuam baixos. No primeiro e segundo leilões os prêmios foram de R$ 1,70, enquanto no terceiro leilão o prêmio foi em torno de R$ 7,40, o que dá uma média de R$ 3,60 nos 3 leilões.

Segundo o Presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Boa Esperança (MG), Manoel Joaquim da Costa, as medidas do governo vieram muito tarde: “O prêmio das opções já foi feito, o governo lançou e as cooperativas compraram, mas agora falta as cooperativas soltarem as normas e ainda não se sabe quando isso irá acontecer e, enquanto isso, o produtor fica esperando”.

Dos 3 milhões de sacas que o governo soltou o café conillon não comprou nenhuma, uma vez que o preço do conillon está em alta e o arábica em baixa. Com isso, Costa afirma que o governo tem que prestar mais atenção no café arábica porque 90% da produção é realizada por pequenos agricultores e eles irão abandonar a cultura: “Se o governo não tomar uma atitude vamos perder quase 300 mil empregos de mão-de-obra, sendo que em Minas Gerais (MG) 677 municípios produzem café e em 600 os agricultores são pequenos”.

Por: João Batista Olivi e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário