DA REDAÇÃO: Colheita nos EUA continua atrasada, mas produtores dão preferência à soja

Publicado em 10/10/2013 13:34 e atualizado em 10/10/2013 16:03
584 exibições
Grãos: Colheita da soja nos EUA está atrasada em relação à média histórica e milho deve concentrar trabalhos de campo até o fim do mês. Preferência pela oleaginosa acontece em função do risco climático (geadas). Porém, indicadores são de produtividade acima das expectativas. Assim, mercado de grãos poderia recuar frente à entrada da nova oferta.

Nos EUA a colheita continua bastante atrasada este ano em relação à média histórica, mas regionalmente ela está avançando, sendo que algumas localidades dão preferência à colheita da soja em função do risco de geada ou neve no centro-norte do Meio-Oeste.

O milho ainda tem um nível de umidade no grão entre 25% e 30% em várias áreas e a colheita deve se concentrar no final deste mês e início de novembro, quando 350 milhões de toneladas ou mais entrarão no mercado norte-americano, com níveis de produtividade acima do esperado inicialmente de acordo com o que vem sendo apontando até o momento.

O analista de mercado, Paulo Molinari, afirma que não há fundamentos de alta para o milho, enquanto a soja tem um fundamento que é a dúvida sobre o tamanho da safra dos EUA e outro fundamento sobre o ritmo de plantio na América do Sul, sendo que, até o momento, a demanda ou outro fator são paralelos e passageiros.

Nesse momento, sem as informações oficiais do USDA sobre exportação, plantio, condições de lavoura e colheita, o mercado fica ao sabor dos dados técnicos de análise gráfica e do ritmo da colheita norte-americana. Com isso, à medida que o mercado físico dos EUA for apresentando um melhor ritmo de colheita, os preços internos irão ceder e Chicago irá acompanhar esse recuo. Além disso, há as informações das decisões políticas no Congresso dos EUA, que podem ajudar a visualizar quando o USDA voltará a trabalhar.

Por: João Batista Olivi e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário