DA REDAÇÃO: Segundo análise técnica, mercado de milho apresenta efetiva tendência de queda

Publicado em 16/10/2013 11:07 e atualizado em 16/10/2013 14:12
465 exibições
Grãos: Tendência para o mercado do milho, segundo análise técnica, ainda é de forte queda. Caso vencimento dezembro/13 rompa o patamar dos US$ 4,30, preços podem cair ainda mais. Já para a soja, tendência também de baixa, porém, menos intensa no curto prazo. Mais adiante, preços deverão buscar uma recuperação, segundo os gráficos.

O mercado internacional continua sem as referências entre os fundamentos e não se sabe como está a evolução da colheita nos EUA devido à paralisação do governo norte-americano.

Com isso, de acordo com uma análise técnica de Antônio Domiciano, da Smartquant Fundos Investimentos, desde o início do ano o milho vem mostrando uma queda persistente e o mercado segue em baixa, mesmo com a tentativa de reação durante alguns períodos, essa é uma reação fraca e novamente voltam a entrar as vendas: “Há 2 meses o milho está trabalhando perto das mínimas, tentando cair gradativamente cada vez mais e é um mercado em efetiva tendência de queda”.

O mercado de grãos é formado basicamente por oferta e demanda e a cerca de 1 ano atrás houve uma forte alta por volta dos meses de maio e junho, mas, desde então, o milho vem caindo provavelmente devido a uma super oferta, que vem empurrando os preços para baixo. Nesse momento, o contrato dezembro da Bolsa de Chicago está em torno de US$ 4,40/bushel e, caso não ocorra nenhuma reação, essa queda tende a continuar. Domiciano diz que se o preço romper a mínima de US$ 4,30/bushel, ele tende a seguir em desvalorização para US$ 4,00/bushel e, posteriormente, para US$ 3,50/bushel.

“O agricultor que está com o produto nas mãos em um mercado em tendência de queda, conforme o preço cair, a recomendação é não manter o produto, e sim ir gradativamente vendendo e só parar a comercialização quando o preço reagir”, afirma Domiciano.

Soja: Em relação ao mercado de milho, a soja está um pouco melhor. Em meados de julho e agosto ela experimentou uma forte alta, saindo dos US$ 12,00/bushel para US$ 14,00/bushel, mas, apesar dessa alta ter sido consistente, ela não foi suficiente para mudar a longa tendência de queda que a oleaginosa vem experimentando desde junho de 2012.

Segundo Domiciano, após a alta de maio do ano passado, o mercado vem caindo, mesmo passando por períodos de laterização, como foi no primeiro semestre de 2013, mas agora a soja mais uma vez tenta cair. Nesta quarta-feira (16), o contrato novembro da Bolsa de Chicago está em torno de US$ 12,70/bushel e, caso esse preço rompa a mínima anterior de US$ 12,00/bushel, pode ocorrer uma nova pressão de venda, com uma queda de mais 10%.

Nesse momento, ocorre um movimento de forte queda no mercado da soja, mas com boas chances de parar entre os US$ 11,00/bushel e US$ 12,00/bushel para, posteriormente, iniciar uma tendência de alta em um prazo de 6 meses a 1 ano.

Por: Carla Mendes e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário