DA REDAÇÃO: Governo lança plano com foco na agricultura familiar

Publicado em 17/10/2013 14:17 e atualizado em 17/10/2013 18:53
238 exibições
Brasília: Representantes da Via Campesina invadem a sede do Ministério de Minas e Energia. Manifestantes protestam contra leilão do Campo de Libra, que pretende oferecer terreno para exploração internacional. Nos próximos dias, governo irá assinar 100 decretos de desapropriação de terra para assentamentos da reforma agrária.

Nesta última quarta-feira (16), representantes da Via Campesina ocuparam o Ministério da Agricultura e hoje (17) ocuparam o Ministério de Minas e Energia junto a representantes da Federação Única dos Petroleiros, com a reivindicação de que não haja um leilão previsto para a próxima segunda-feira (21). Esse leilão corresponde ao Campo de Libra, que pode ser o maior campo de petróleo do mundo da camada pré-sal. Também contrários ao leilão, os servidores da Petrobras estão em greve desde ontem (16).

Ainda na tarde desta quinta-feira (17), a Presidente Dilma Rousseff e vários ministros participaram do lançamento de um plano focado na agricultura orgânica, principalmente para que os agricultores familiares passem a produzir esse tipo de agricultura que é sem defensivos químicos.

Além disso, o plano também prevê 9 bilhões de reais a serem investidos na agricultura orgânica, em uma produção agroecológica, sendo que, desse total, 7 bilhões serão para a disponibilização de créditos do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) e os outros 2 bilhões serão voltados para a assistência técnica e extensão rural, recursos esses a serem utilizados em um prazo de 3 anos.

Hoje (17) também o Ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, fez um discurso dizendo que dos próximos dias até o fim deste ano o governo, por meio da Presidência da República, irá assinar 100 decretos de desapropriação de terras, as quais serão voltadas para a criação de assentamentos da reforma agrária. Neste ano o governo Dilma não havia assinado nenhum decreto, mas agora, faltando 2 meses para o fim do ano, irá assinar 100.

Por: João Batista Olivi e Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário