DA REDAÇÃO: Apesar de estimular consumo, Copa do Mundo demanda cuidados com a proteína animal

Publicado em 02/05/2014 13:25 e atualizado em 02/05/2014 15:24 414 exibições
Proteína animal: Brasil é, atualmente, líder na exportação de produtos com valor agregado na agricultura, como a carne suínas e de aves. Copa do Mundo exigirá intenso trabalho da vigilância sanitária, diante da possibilidade da entrada de vírus que causam doenças como a gripe aviária e a diarreia suína. Por outro lado, com planejamento, pode ser boa oportunidade de divulgação da proteína animal brasileira.

Em entrevista para a segunda edição do Mercado & Cia., do Canal Rural, o presidente executivo da Associação Brasileira de Proteína Animal, Francisco Turra, apontou que o estado do Paraná, líder nacional na produção avícola, possui uma condição especial, uma vez que o estado é capaz de produzir os insumos básicos e exportar produtos com valor agregado.

Para o restante do Brasil, a Copa do Mundo deve trazer oportunidades para as proteínas animais, mas Turra chama atenção para as ameaças. "Se não houver vigilância sanitária, podemos receber a gripe aviária e a diarreia suína, que estão rondando o mundo. Não podemos correr risco nenhum". O presidente destaca que a associação já está trabalhando em um monitoramento e distribuíndo informações para que toda a cadeia trabalhe para preservar o patrimônio genético.

O Brasil, país livre de gripe aviária, possui granjas nas quais não é comum a prática de permitir visitar de estranhos. Há também uma proibição temporária da compra de material genético para suínos do exterior.

A oscilação do dólar também atrapalha os negócios do mercado de suínos, que são mais vendidos no mercado interno do que no externo. "Temos um déficit na balança comercial", constata.

Por:
Sérgio Braga // Izadora Pimenta
Fonte:
Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Liones Severo Porto Alegre - RS

    Seria oportuno que essa entidade fizesse um desafio a todos os chefes brasileiros, a produzir cardápios mais sofisticados para estimular o consumo dessa preciosa carne, tão desprestigiada pela cozinha brasileira. Precisamos incentivar nosso povo a consumir mais suíno e frangos, do que somos grandes produtores. Aliás, a cozinha brasileira é de péssima qualidade, que nem se compara com a cozinha sul-africana, quanto mais se compararmos com a cozinha chinesa. Ao invés de ficarem somente voltados para a exportação, deveriam primeiramente criar programas de estimulo e incentivo ao consumo interno, aumentando a renda dos produtores e tornando possível que alimentemos uma grande legião de brasileiros famintos que, ainda, não tem acesso ao consumo de proteína animal. É bonito falar dos estrangeiros, falem de nossos pobres e miseráveis..... Copiem da Cristina Kirchner que criou um programa para os argentinos consumir mais carne suína (até para eles estamos perdendo !!!)

    0