DA REDAÇÃO: Com aumento da produtividade e dos preços, arroz segue em alta no RS

Publicado em 13/06/2014 18:26 e atualizado em 16/06/2014 14:20 265 exibições
Arroz: safra encerra no RS e apesar da maior oferta, preços continuam remuneradores ao produtor. Tendência é positiva para as cotações já que as exportações têm ajudado a enxugar o mercado interno

A boa produtividade do arroz no Rio Grande do Sul (RS), aliada à alta demanda e os bons preços que o produto vem obtendo no mercado nacional e internacional propiciam um cenário favorável para os produtores.

No estado gaúcho, a colheita do produto já foi encerrada. Neste ano, a área de cultivo teve um aumento de 4%, o que não se refletiu necessariamente no aumento de produção, que se manteve no mesmo patamar de 2013. Apesar do desempenho da cultura sofrer grande impacto do clima, com muitas chuvas e altas temperaturas no decorrer do semestre, a região obteve a segunda maior safra de sua história, com 8,2 milhões de toneladas.

Segundo Claudio Pereira, presidente do IRCA (Instituto Rio-grandense do Arroz), o mercado atingiu um bom ponto de equilíbrio. “Essa safra praticamente abastece o mercado interno, com o estado atendendo 65% do mercado nacional. “Estamos exportando e ainda existem algumas importações para atender o Mercosul. Vai ser um ano bom. Claro que quem teve queda de produtividade pode ter diminuição na sua renda, mas, no geral, os arrozeiros do Rio Grande do Sul estão bem”, falou Pereira.

A comercialização do arroz flui normalmente também. O preço do produto no mercado atinge no estado a média de R$ 36, valor 10% maior do que se comparado ao mesmo período do ano passado. “Os produtores estão vendendo normalmente, abastecendo a nossa indústria, e parte do arroz está sendo destinada à exportação, com uma boa quantidade do arroz em casca indo para a América Central”, contou o presidente do IRCA.

O resultado favorável tem permitido que o produtor faça novos investimentos e obtenha boas expectativas de rendimentos, praticando a rotação de culturas com a soja. Para Pereira, com a manutenção dos preços da soja, a expectativa é de que a parceria com o arroz se intensifique. “São 3,5 milhões de hectares de terras planas disponíveis para a plantação de arroz no Rio Grande do Sul, dos quais ocupamos apenas 1,1 milhão. Então, temos ainda cerca de 2,4 milhões de hectares de terras disponíveis”, informou.

Por:
Aleksander Horta // Fernando Pratti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário