DA REDAÇÃO: Indefinições no mercado preocupam produtores de leite do Paraná

Publicado em 18/06/2014 14:17 e atualizado em 18/06/2014 15:50 288 exibições
Leite: Preços no mercado internacional têm queda expressiva e prejudicam exportações brasileiras, no momento em que a oferta é maior. No mercado interno as indústrias não estão efetuando grandes compras e evitam formar estoque, enquanto produtos como queijos e iogurtes estão sem demanda.

Com a queda acentuada do preço do leite no mercado internacional e a concentração da distribuição do produto e de seus derivados em poucas grandes redes, os produtores de laticínios do Paraná vivem um momento de preocupação às vésperas do começo da safra, que acontece a partir do mês de julho. As importações do leite em pó aliadas à política econômica que impede o aumento do valor do dólar frente ao real também têm ajudado a formar um cenário que gera insegurança aos produtores.

O valor do produto no mercado internacional, que estava a mais de US$ 5 mil no começo do ano baixou para US$ 4 mil, com o litro do leite sendo comercializado em média a R$ 1,08 no Paraná. “É preocupante essa situação do mercado internacional aliada à importação do produto em momentos inoportunos”, falou Wilson Thiesen, vice-presidente do Conseleite-PR.

Atualmente, os três estados do sul do país reúnem mais de 300 mil produtores de leite, sendo que somente o Paraná é composto por 118 mil, em sua grande maioria de pequenos produtores. “A falta de uma política mais clara é muito preocupante para todos os estados produtores”, disse Thiesen.

O mercado interno do produto também vive um momento complicado, com a concentração da distribuição em poucas grandes redes, que estão comprando menos. “Hoje, elas (redes) estão comprando para apenas uma semana, evitando manter estoques, e os produtos agregados – como os queijos e iogurtes – não estão girando nas prateleiras. É um ano bastante atípico no qual estamos aguardando o início das safras no mês que vem para saber melhor o que irá acontecer”, informou o vice-presidente.

Outra preocupação do setor é em relação aos preços praticados no varejo, principalmente com os queijos. Enquanto o produto é vendido no atacado de R$ 12 a R$ 14, enquanto nos supermercados eles chegam a R$ 30, o que faz com que o produto não gire. “O leite longa vida é o carro para atrair o consumidor, mas os outros produtos estão com preços muito altos”, comentou Thiesen.

Por:
João Batista Olivi // Fernando Pratti
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário