DA REDAÇÃO: Retirada da TEC pega produtores de trigo de surpresa

Publicado em 20/06/2014 13:39 e atualizado em 20/06/2014 16:07 439 exibições
Trigo: Na tarde desta sexta-feira (20) é possível que haja a liberação da TEC, que irá incentivar a importação de trigo para os moinhos brasileiros. A medida é considerada equivocada, pois há uma oferta grande no Brasil, principalmente no Rio Grande do Sul onde há mais de 800 mil toneladas para serem comercializadas.

A notícia de que a Câmara de Comércio Exterior (Camex) retirou a Tarifa Externa Comum (TEC) para o trigo pegou os produtores do Sul de surpresa, uma vez que a medida havia sido descartada há menos de um mês, tendo em vista o cereal que ainda resta a ser comercializado no Brasil.

No Rio Grande do Sul, ainda há 800 mil toneladas a serem comercializadas. No Paraná, há mais de 1000 toneladas. Com a liberação da TEC, deve-se importar cerca de 1 milhão de toneladas dos Estados Unidos da América.

De acordo com Rodolpho Botelho, Presidente do Sindicato Rural de Guarapuava (PR), a retirada da TEC é um desestímulo a novas tecnologias a serem implantadas para o produtor rural, uma vez que torna a comercialização lenta e os preços mais baixos.

Com 1/3 da área plantada no Rio Grande do Sul e 2/3 no Paraná, os preços do trigo chegam a R$550/t no primeiro estado e R$700/t no segundo, tendo atingido anteriormente a média de R$900/t.

Por:
Kellen Severo // Izadora Pimenta
Fonte:
Notícias Agrícolas

3 comentários

  • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

    Sr. Geraldo Emauel Prizon – Coromandel – MG, para entender e explicar estas e outras ações na área tritícola brasileira deve-se trazer à tona a paródia de Sérgio Porto, onde Tiradentes casou com a Princesa Leopoldina e depois de eleito como Pedro Segundo, se juntou com Padre Anchieta e proclamaram a escravidão.

    Sim, Sr. Geraldo, para entender; só seguindo a lógica do “SAMBA DO CRIOULO DOIDO!”

    ....”E VAMOS EM FRENTE” ! ! !....

    0
  • geraldo emanuel prizon Coromandel - MG

    Este mercado do trigo verdadeiramente não é sério. E, os produtores que se cuidem, em muitas regiões ainda da tempo de não plantar, porque pelo andar da carruagem, os preços do trigo estarão abaixo do mínimo, muito em breve. A retirada da TEC é inoportuna, os preços da CBOT que giravam em torno de U$7,00 buschel hoje estão em 5,90, e o cambio de R$.2,30 hoje está em R$2,23.- Assim, o trigo importado já está saindo mais barato, porque retirar a Tec?.- Por outro lado, já estamos colhendo trigo em Minas, e os preços que até então giravam em torno de 950,00 ton, hoje já estão abaixo de 800,00, e caindo rapidamente.

    Quando o produtor leva uma amostra de trigo ao moinho eles fazem pouco e dizer estar estocados, seria cômico, não fosse trágico. Enquanto não tivermos uma política agrícola que freie as importações durante certo período do ano os moinhos continuarão comprando trigo importado de R$.1000,00 ton, para comprar o trigo nacional abaixo do preço mínimo, e assim fazerem uma média satisfatória. Com efeito, dentro de pouco tempo o Brasil vai estar oferecendo ao mercado mais de 6 (seis) milhões de Ton., de uma só vez,enquanto este mesmo mercado diz precisar apenas de 500 mil ton, por mês. Enquanto isso não for regulado, rentabilidade com trigo só em sonho, ...coitado do produtor rural.

    0
  • roberto carlos maurer Almirante Tamandaré do Sul - RS

    Este governo a gente já sabe não é sério alguns dias atrás diz que não vai tirar a tec e de repente na calada da noite como faz os meliantes, pimba lá se foi o dito pelo não dito,e a nossa liderança, bom a liderança, não tem...quem puxa a frente? não tem, somos um povo que paga, a LIDERANÇA prá engordar,vejam a cna tu não paga,te cobram na justiça, porque os mesmos advogados não nos de fendem? estamos pelados numa noite de geada...Agora temos de ponderar até nas noticias; as horas 9,33 é publicado(com clima bom,área de trigo avança significadamente,emater); as horas 10,40 (plantio segue em ritmo lento no RS, noticias agriculas) sera que não da para entrar num consenso,PELAS BARBAS DO PROFETA.

    0