DA REDAÇÃO: Baixa demanda traz excesso de oferta para o feijão e causa prejuízo para os produtores

Publicado em 30/06/2014 13:20 e atualizado em 30/06/2014 17:05 517 exibições
Feijão: Há um excesso de oferta no mercado, pois muitos produtores optaram por plantar o feijão comercial. Além disso, o consumo interno está muito baixo e coincide com os períodos de férias escolares e de jogos da Copa do Mundo, que diminui ainda mais a demanda.

O baixo consumo para o feijão ainda permanece. O analista da Correpar, Marcelo Lüders, explica que é um mercado considerado inelástico, em que mudanças nos preços comercializados não mudam o consumo. O período de férias escolares, junto com o período de Copa do Mundo diminuiu ainda mais a demanda que já estava baixa. 

Lüders também conta que muitos produtores optaram por plantar o feijão comercial, também conhecido como feijão carioca, o que causou uma oferta excessiva no mercado. Em decorrência deste cenário há uma pressão nos preços, em que muitos lugares é comercializado bem abaixo dos preços mínimos e dos custos de produção. Em Unaí (MG), há produtores comercializando feijão recém-colhido entre R$ 75 e R$ 78 por saca. 

Produtores aguardam a ação anunciada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), de aquisição do governo por meio de AGF (Aquisição do Governo Federal) dos estoques, que deve trazer uma melhor perspectiva dos preços. 

Situação inversa dos produtores que optaram em plantar outras variedades, como o rajado. Por haver demanda externa e menor oferta no mercado, os preços praticados no mercado são mais atrativos. Já para o feijão preto, a oferta depende de exportações vindas da Argentina, pois com o excesso de chuvas no sul do país, muitas lavouras foram prejudicas. 

Por:
João Batista Olivi // Sandy Quintans
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário