DA REDAÇÃO: Para consultor, momento é de segurar vendas para o milho

Publicado em 03/07/2014 13:51 e atualizado em 03/07/2014 16:19 314 exibições
Milho: após quedas depois da divulgação dos dados do USDA, o mercado está parado e quase não há negociações. As previsões para a safrinha estão boas para este início de colheita e, junto com a safra de verão, deve alcançar 75,5 milhões de toneladas. Projeções de exportações não demonstram crescimento.

Após a divulgação dos relatórios do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), os preços caíram em Chicago e há poucas negociações, tanto para a safra velha quanto para a nova. Já no Brasil o início da colheita de milho safrinha está trazendo bons números e as projeções para as duas safras, de verão e inverno, chegam a 75,5 milhões de toneladas. 

O consultor em agronegócios, Ênio Fernandes, conta que a produtividade está muito boa neste início de colheita, mas o cenário já era esperado. Ele explica que o início das colheitas costuma ter grãos em condições melhores e ao longo da colheita é possível que haja uma pequena queda de produtividade.

Há projeções de que os preços só comecem a melhorar para os produtores com o aumento das exportações. Cenário que não deve se confirmar antes de agosto, segundo explica Fernandes, que prevê que as vendas para o mercado externo neste mês devem ficar entre 600 a 700 mil toneladas. Também coloca que independente das projeções, as exportação irão se realizar, restando saber apenas a qual valor.  

Para o consultor, o momento é de segurar vendas para grande parte dos produtores, que já fecharam contratos e possuem boa parte da safra vendida. Já para os agricultores que não realizaram vendas, a situação é diferente. A safra de inverno precisa ser feita de forma bem planejada, pois se trata de um grande volume de grãos que chega ao mercado junto com a safra americana. 

Por:
João Batista Olivi // Sandy Quintans
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário