DA REDAÇÃO: Queda das cotações no mercado internacional valoriza prêmios para a soja

Publicado em 10/07/2014 13:48 e atualizado em 10/07/2014 17:56 452 exibições
Soja: Desde a divulgação do relatório de área do USDA, os preços da safra velha caíram em até 12% em Chicago nos contratos de agosto e setembro. Porém, os prêmios altos pagos nos portos do Brasil têm ajudado a amenizar as perdas, que chegam a 5% para os produtores brasileiros.

O mercado internacional permanece com as cotações pressionadas, cenário que vem se repetindo desde a divulgação do aumento de área para próxima safra americana de soja pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Já no Brasil, os prêmios tem se mostrado bastante positivos para a safra nova e para safra velha. 

O consultor da Safras & Mercados, Flávio França Jr., explica que as quedas em Chicago já chegam a 12%, enquanto no Brasil essa queda é de 5% com a subida dos prêmios, compensando a queda no mercado internacional. Há uma pressão de vendas, em que muitos produtores estão preocupados com a queda das cotações, mantendo poucos negociações mesmo com demanda interna.

Para França, o momento é de segurar vendas tanto para a safra atual, quanto para a próxima. Também há a possibilidade de que os produtores travem os prêmios, que estão em níveis muito positivos para o ano que vem. O analista também explica que os preços deverão subir a níveis mais altos, mas dificilmente atingirá os patamares de US$ 13 por bushel com a expectativa de uma safra de 100 milhões de toneladas nos Estados Unidos. 

Por outro lado, a demanda também é crescente, principalmente na China que sustenta o mercado a pelo menos dez anos. Com os preços em Chicago a níveis mais baixos, a demanda da Europa também tende a crescer. 

A expectativa de França é de que a demanda interna sustente os preços no país, visto que o mercado externo terá um momento ruim em Agosto devido as vesperas da chegada da nova safra.  

Por:
João Batista Olivi // Sandy Quintans
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário