DA REDAÇÃO: Para analista, pesquisas não demonstram situação eleitoral do país

Publicado em 23/07/2014 13:56 e atualizado em 23/07/2014 17:13 329 exibições
Política: Foi divulgada nova pesquisa Ibope sobre as intenções de votos para as eleições presidenciais, com destaque para o crescimento no número de pessoas que querem mudanças no governo. De acordo com as pesquisas e as últimas eleições, provavelmente haverá um segundo turno.

Uma nova pesquisa Ibope sobre intenção de votos foi divulgada nesta semana e demonstrou índices muito parecidos com a última pesquisa Datafolha.  A presidente Dilma lidera com 38% das intenções de votos, seguido por Aécio Neves com 22% e Eduardo Campos com 8%. O destaque da pesquisa fica por conta do número de pessoas interessadas em uma mudança do governo, chegando a 50%.

Ainda não é possível definir se haverá um segundo turno, mas os índices apontados nas pesquisas mais recentes e os dados históricos referentes as últimas três eleições é provável que haja. O analista financeiro, Miguel Daoud, explica que nas disputas passadas os candidatos com mais intenções de votos tinham uma grande vantagem nas pesquisas, mas que acabou sendo decidida no segundo turno. Para ele há um certo desinteresse da população sobre as eleições e as pesquisas não retrata o momento eleitoral.

Daoud também coloca que o eleitorado não compreende muito índices de inflação e dados relacionados a economia, pois se preocupa com questões que impactam diretamente no dia a dia, como empregos e salário. Com os três meses de inflação alta, a população já começa a sentir a corrosão na renda. O analista também explica que as empresas começam a tirar o pé do acelerador e esperam a definição das eleições e das propostas de governo para realizar novos investimentos, refletindo ainda mais os problemas da econômicos.

A única forma de reverter essa situação seria o governo acelerar a economia, que Daoud explica ser improvável, visto que há os possíveis impactos da situação da Argentina e o reajuste antecipado das taxas de juros pelos Estados Unidos que deverá prejudicar consideravelmente a situação do país. Para o analista os reflexos da economia são lentos e os riscos são sérios. 

Por:
João Batista Olivi // Sandy Quintans
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário