DA REDAÇÃO: Exportação de carne para a Rússia já apresentou melhores números antes do embargo

Publicado em 12/08/2014 13:32 e atualizado em 12/08/2014 15:19 361 exibições
Boi: Demanda russa por carnes já havia demonstrado crescimento em julho, com uma exportação de 40 mil toneladas para o mês. Até o final do ano, o número de frigoríficos autorizados deverá aumentar, mas ainda não é possível realizar estimativas de quantidade. Atualmente, a Rússia é o segundo maior mercado internacional do Brasil, perdendo apenas para Hong Kong.

As negociações entre o Brasil e a Rússia já apresentaram melhores números antes mesmo do embargo imposto pelo país soviético a produtos agrícolas dos Estados Unidos, União Europeia, Noruega, Japão, Canadá e Austrália. De acordo com Fernando Sampaio, diretor executivo da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (ABIEC), o Brasil exportou 40 mil toneladas de carne bovina para a Rússia em julho, ou seja, 10 mil toneladas a mais do que a média anual.

Com um maior número de frigoríficos aprovados, é possível que haja um aumento neste número até o final do ano. Sampaio, no entanto, aponta que nenhuma estimativa está sendo feita, apesar das expectativas. "Precisamos saber o quanto o mercado vai reagir".

O diretor alerta, no entanto, para os outros mercados, que podem pagar o mesmo valor do que a Rússia. "Temos que definir o melhor mercado para cada tipo de corte". Atualmente, a Rússia já é o 2º maior importador do Brasil, perdendo apenas para Hong Kong.

Os frigoríficos aprovados, agora, devem passar por uma ratificação do Ministério da Agricultura para que sejam, de fato, habilitados para evitar problemas posteriores.

O conselho do diretor para os pecuaristas é que invistam cada vez mais em eficiência para obter uma melhor rentabilidade dentro dos seus negócios.

Por:
João Batista Olivi // Izadora Pimenta
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário