DA REDAÇÃO: Situação da safra norte-americana de grãos é positiva apesar da falta de chuvas

Publicado em 18/08/2014 14:15 e atualizado em 18/08/2014 18:00 549 exibições
Soja: Safra norte-americana segue em boas condições e, de acordo, com USDA deverá ficar em torno de 104 milhões de toneladas. Porém, ainda faltam dias de boas chuvas - na casa de 80 mm - para fechar o ciclo e concretizar as boas perspectivas para a safra. Até o momento, há uma certa irregularidade entre os estados produtores.

O tour que está sendo realizado pelo AgRural nos Estados Unidos, para acompanhar o andamento da safra de grãos, já percorreu mais de seis quilômetros por oito estados produtores. O analista de mercado, Fernando Muraro Jr., conta que o andamento da safra é muito positivo, com grande parte das lavouras sendo consideradas como excelente, para a soja e o milho. Porém, ele ressalta a falta de chuvas que ocorreu no mês de agosto, faltando cerca de 80 mm de chuvas para fechar o ciclo da soja.

Os problemas climáticos, apesar de pequenos, farão com que a safra não passe dos 104 milhões de toneladas estimados pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Muraro explica que o mês de junho foi o mais chuvoso da história do país, enquanto julho foi o mais frio. Além disso, Muraro também comentou a grande produtividade da safra norte-americana, apesar de haver uma regularidade entre os estados visitados. Illinois apresenta um número de 60 sacas por hectare, enquanto Iowa não deve atingir números tão expressivos.

Já no Brasil, o esperado é que haja um aumento de 1,5 milhão de hectares em relação a última safra, que deve crescer em cima das lavouras de milho, arroz e pastagens. Os números demonstram a preferência dos produtores por soja, mesmo com o crescimento nos custos de produção por ser a cultura mais rentável.

Para Muraro, a preocupação é com o segundo trimestre do ano que vem, quando o assunto é preços. Com um aumento de área no Brasil e na Argentina – cerca de 1 milhão de hectares – haverá um grande volume de oferta, juntando com a safra americana.  Caso se confirme esta grande colheita na América do Sul, cerca de 170 milhões de toneladas, será a maior safra do hemisfério oeste já registrada na história. Segundo Muraro, com estes números, dificilmente a demanda segurará os preços em patamares mais atrativos ao produtor.

A recomendação é que os produtores aproveitem os bons prêmios pagos, para aqueles que possuírem soja no mercado. 

Por:
João Batista Olivi // Sandy Quintans
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário