DA REDAÇÃO: Milho – Preço dos prêmios nos leilões Pepro desagrada produtores

Publicado em 20/08/2014 19:22 e atualizado em 21/08/2014 13:56 267 exibições
Milho: Produtores estão decepcionados com o preço dos prêmios para o leilão Pepro. As regiões Nordeste e Sudeste do Mato Grosso e o Mato Grosso do Sul tiveram poucos negócios. O leilão também provou discórdia em outros estados que produzem milho, mas não dispõem da medida do governo. A alternativa seria trabalhar com AGF ou contrato por opção.

Aconteceu na quarta-feira (20), o primeiro leilão Pepro (Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural). A medida é oferecida pelo governo para compensar valores de mercado abaixo do preço mínimo oficial. O leilão registrou demanda para 85,5% das 1,050 milhão de toneladas de milho ofertadas para Mato Grosso – 950 mil toneladas, Mato Grosso do Sul – 75 mil e Goiás – 75 mil.

Segundo o consultor em comercialização, Telmo Heinen, a medida decepcionou os produtores pelo baixo prêmio oferecido em alguns estados e também desagradou agricultores de outros estados que produzem milho sem Pepro, como é o caso do Maranhão, Piauí e Bahia.

“O Pepro tem conotação política uma vez que tem locais com prêmio muito baixo. Na região Nordeste do Mato Grosso, por exemplo, ofereceram um prêmio de R$ 0,27 e tiveram adesão de apenas 8%. Na região de Goiás saiu tudo, mas o prêmio ficou na casa de R$ 1,09”, disse o consultor em entrevista ao programa Mercado & Cia, apresentado por João Batista Olivi. 

Para Heinen, o governo deveria trabalhar com AGF (Aquisição do Governo Federal) ou contrato por opção.

Ainda segundo o consultor, as perspectivas para a próxima safra não são positivas no Sul do País. “Essa tendência de redução na próxima colheita há alguns meses pode reativar os preços. E deve-se acrescentar a isso que a liberação dos financiamentos está atrasada, impossibilitando a aquisição de insumos e serviços, pois os agricultores não dispõem de crédito”, disse.

Por:
João Batista Olivi // Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário