DA REDAÇÃO: Eleições – Marina Silva se aproxima do agronegócio pelo setor sucroenergético

Publicado em 27/08/2014 19:46 e atualizado em 28/08/2014 12:04 315 exibições
Eleições: Subida de Marina nas pesquisas provoca rally de ações do setor sucroenergético na Bolsa. A Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG) vê com bons olhos a ascensão da candidata do PSB por apoiar o setor quando ministra do Meio Ambiente.

A candidata a presidência da república, Marina Silva tenta uma aproximação com o setor sucroenergético. Em busca do diálogo, na próxima sexta-feira (29), a candidata pretende se encontrar com empresários do setor em um jantar, na casa de Plínio Nastari, que é consultor da Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar).

Com a subida da candidata na pesquisa IBOPE, as ações das empresas do setor tiveram ontem (27) altas na Bovespa. Principalmente as de capital aberto como a Cosan e o Grupo São Martinho.

Segundo o diretor da Canaplan e Presidente da Associação Brasileira de Agronegócio (ABAG), Caio Carvalh, no encontro com Marina devem ser abordados questionamentos que também foram feitos para o candidato Eduardo Campos que tinha apresentado questões positivas para o agronegócio.

“O nosso interesse é ouvi-la na posição nova que ela compete. Uma coisa é a Marina como ambientalista outra como candidata a presidência. Agora outras questões como produtos geneticamente modificados e questões do código florestal queremos ouvi-la para verificar a evolução dela daquela época para agora”, disse o diretor em entrevista ao programa Mercado & Cia, apresentado por João Batista Olivi.

De acordo com Carvalho, a candidata Marina entende perfeitamente a questão do etanol, inclusive do ponto de vista ambiental e isso é uma diferença importante na medida em que ela sempre defendeu a posição do etanol como produto extremamente importante na cadeia produtiva, diferente de Dilma que tem dificuldade muito grande para entender o assunto.

Por:
João Batista Olivi // Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário