DA REDAÇÃO: Conselho de Defesa Sanitária Vegetal do Mato Grosso pretende estender o prazo do vazio sanitário

Publicado em 09/09/2014 19:23 e atualizado em 10/09/2014 11:43 190 exibições
Vazio sanitário: A Comissão de Defesa Sanitária Vegetal do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado quer aumentar o período para 150 dias por causa da ferrugem, o que gera preocupação nos produtores que defendem o período de no máximo 3 meses para garantir direito de salvar sementes.

A Comissão de Defesa Sanitária Vegetal do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso pretende aumentar o período de vazio sanitário de três meses para 150 dias por causa da ferrugem, o que gera preocupação nos produtores.

De acordo com o produtor Wilmar Quirino da Silva, a única medida para impedir o plantio de soja de segunda safra seria estendendo o vazio sanitário. “A única forma dos fungicidas continuarem tendo êxito, que as aplicações sejam bem feitas e consiga aumentar produtividade é buscando alternativas que não sejam leguminosas”, afirma.

Com a proibição muitos produtores sementeiros podem ser prejudicados com a medida. “Quem produz sempre vai ser contra, mas precisa do meio termo. Não é possível agradar a todos. Só que uma coisa é fato, soja em cima de soja aqui no Centro-Oeste foi provado que não é viável”, disse o produtor em entrevista ao programa Mercado & Cia, apresentado por João Batista Olivi.

Por:
João Batista Olivi // Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

2 comentários

  • ARLINDO ALBRECHT Campo Alegre de Goiás - GO

    É simples assim CÁCIO RIBEIRO DE PAULA....Parabéns pelo comentário coerente,demonstrando profisionalismo!!

    0
  • Cácio Ribeiro de Paula Bela Vista de Goiás - GO

    "Salvar" as sementes para comprometer a cultura da safra seguinte. SERÁ QUE ESSE É O CAMINHO? ISSO COMPENSA?

    Lembrando que:

    1) O item sementes representa algo em torno de 7% do custo de produção da soja.

    2) Risco de multiplicação de problemas fitossanitários em "campos" de produção de sementes não preparados para tal.

    3) Sem contar o grave problema da ferrugem asiática...

    Meu amigo WILMAR QUIRINO, de Quirinópolis(GO), a "FACA NOS DENTES" tem grande chance de virar "MURRO EM PONTA DE FACA".

    0