DA REDAÇÃO: Produtores ainda sentem o impacto da isenção da TEC para o trigo

Publicado em 10/09/2014 13:51 e atualizado em 10/09/2014 18:08 487 exibições
Trigo: No Paraná, há 5 meses não são realizadas grandes negociações e moinhos já estão abastecidos, como reflexo da liberação da TEC, que impulsionou a importação. No primeiro semestre do ano foram importadas 3,5 milhões de toneladas, quantidade próxima ao tamanho da safra paranaense. Atualmente, os preços estão sendo comercializados 10% abaixo do valor mínimo.

Deverão ser disponibilizados R$ 350 milhões  para a realização leilões de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor (Pepro) para o trigo. Os produtores têm negociado abaixo dos preços mínimos há alguns meses, influenciado pela liberação da TEC (Tarifa Externa Comum), que isentou em 10% os impostos para importação. Com isso, muitos moinhos aproveitaram para abastecer os estoques com o trigo vindo dos Estados Unidos.

O presidente do sindicato rural de Guarapuava (PR), Rodolpho Botelho, explica que no primeiro semestre do ano foram importados cerca de 3,5 milhões de toneladas, uma quantia próxima a da safra do estado, que deverá ficar em 3,9 milhões de toneladas.

Segundo Botelho, há cinco meses os produtores não realizam negociações interessantes. Atualmente, a saca está sendo comercializada a R$ 30, um número 10% abaixo do valor estipulado pelo governo como mínimo, de R$ 33. Além disso, ainda há trigo para ser comercializado da última safra, fora o que será colhido nos próximos meses.

A região de Guarapuava, no Paraná, ainda sofre um agravante. Com sua janela de plantio tardia, a colheita na região acaba ocorrendo em um momento em que as outras regiões já colheram o trigo e comercializaram. 

Por:
João Batista Olivi // Sandy Quintans
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário