DA REDAÇÃO: Café – Chuvas voltam às regiões produtoras nos próximos 15 dias, mas não recuperam déficit hídrico

Publicado em 17/09/2014 18:21 e atualizado em 18/09/2014 13:23 1210 exibições
Café: chuvas voltam às regiões produtoras nos próximos 15 dias mas ainda não recuperam déficit hídrico. Volumes acumulados de até 60 mm são esperados para o Sudeste na última semana de setembro. Em outubro as chuvas serão mais regulares, beneficiando o pegamento da florada.

O cenário climático no Sul de Minas Gerais deve ser favorável à cafeicultura nos próximos dias, apontam as previsões climáticas da Somar Metorologia. O Estado sofre uma das piores secas da história com prejuízos nas principais áreas produtores de café com perdas consideráveis para a safra atual que está sendo comercializada, principalmente para 2015. A Procafé estima que a próxima safra tenha perda de 20%.

De acordo com o Diretor de Operações da Somar Meteorologia, Márcio Custódio, a passagem de uma frente fria que começa nesta quinta-feira (18), deve levar chuvas com médias em torno de 10 a 15 mm em áreas produtoras de café no Sul de Minas. “No curto e médio prazo a condição é favorável para chuvas, elas ainda serão irregulares. Mas essa expectativa de vários eventos de chuva vai aos poucos regularizando todas as regiões”, diz.

Ainda de acordo com Custódio, o cerrado mineiro não tem expectativa de chuvas na próxima semana e só deve ter precipitações consideráveis apenas no final de setembro e início de outubro.

As chuvas que devem cair nos próximos dias no Sul de Minas não devem recuperar as perdas do déficit hídrico na região que perdura desde o último verão, apenas minimizar. “Para regularização total do déficit hídrico, vamos precisar de um período mais longo”, afirma o Diretor de Operações.

Segundo Custódio, as chuvas para o final de semana podem induzir a florada. No entanto, para que o ‘pegamento’ seja bom são necessárias precipitações mais regulares. “Os modelos de previsão indicam chuvas mais regulares nos últimos dez dias de setembro e início de outubro, indicando que o padrão está mudando para a região Sudeste, diferente do ano passado”, diz.

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário