Boi Gordo: Mercado tem pouca movimentação e elevados preços nos animais de reposição; referência em R$ 143/@

Publicado em 23/02/2015 13:12 e atualizado em 24/02/2015 07:32
377 exibições
Boi Gordo: Mercado segue travado neste início de semana, com preços trabalhando no intervalo de R$ 140 a R$ 145/@. Demanda segue fraca, mas falta de animais dá suporte às cotações. No mercado da carne, barreira para os preços está nos R$ 9,00. Paralelamente, pecuaristas sentem os elevados custos com os animais de reposição. Escalas de abate atendem, em média, 5 dias.

O mercado do boi gordo segue travado, ainda buscando informações que possam alavancar os preços, os quais não têm tido muita movimentação significativa nos últimos dias. Os valores de negócios têm variado entre R$ 140,00 e R$ 145,00. Segundo Caio Toledo Godoy, analista de mercado da XP Investimentos, há uma oferta restrita de animais e uma demanda ainda fraca. Em São Paulo, a carne está em R$ 8,93 e os R$ 9,00 continuam como uma barreira para os frigoríficos. 

A demanda baixa se explica pelo cenário econômico interno ruim, com queda na renda e inflação afetada pela alta do dólar, gerando a troca de proteína bovina por frango, justamente por conta do preço. “A renda do brasileiro está menor, e com isso ele prefere comprar uma carne mais em conta”, explica Godoy.

Já a falta de oferta pode estar relacionada ao custo do bezerro e do boi magro, que chegou a R$160,00/@. Dessa forma, fazer uma reposição olhando o mercado futuro se torna inviável ao pecuarista nesse momento e esse cenário deve permanecer durante todo ano de 2015. Para Godoy, o momento é de cautela, pois mesmo com a queda no preço da matéria prima para a ração, o boi magro continua muito caro.  

Por outro lado, a valorização do dólar deixa o produto brasileiro mais competitivo no mercado internacional, porém, há um aspecto negativo que é a Rússia perdendo pela segunda vez seu grau de investimento e diminuir o volume de importação do país, que é um dos principais compradores do Brasil.

A tendência é que o mercado continue travado pelo menos neste primeiro trimestre do ano. “A oferta restrita deve seguir, pode entrar um pouco de boi, pois estamos na safra, mas o volume é muito pequeno. E a demanda também fraca acaba deixando o mercado bem travado. Não há perspectivas de recuo nos preços – devido à falta de oferta – mas também não há espaço para alta da arroba, considerando a demanda interna e externa baixa”, afirma Godoy.

Por: Carla Mendes e Larissa Albuquerque
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Dalzir Vitoria Uberlândia - MG

    safra de boi já era....com aumento da área de soja...problemas climáticos a safra de boi gordo pelo segundo ano não existe...sobre o bezerro....vai continuar faltando e o preço vai continuar subindo e isto vai empurrar o preço do boi gordo pra cima..claro que em níveis menores que ano passado...mais uma vez analistas e jornalistas desinformados...o ´preço ao produtor só sobe com REDUÇÃO DRÁSTICA de oferta e não por aumento de demanda...quando há aumento de demanda sem redução de oferta o lucro fica para a cadeia excluído aí o produtor rural..

    0