EXCLUSIVO: Evento quer mostrar em ao produtor como aumentar a sua produtividade em grãos

Publicado em 08/09/2010 13:11 e atualizado em 08/09/2010 16:04
656 exibições
38ª EXPAJA: evento reúne o que há de melhor em informação técnica aos produtores de Jataí, sudoeste goiano. Região corresponde a 1% da produção de grãos no Brasil e quer aumentar a produtividade. Cana-de-açúcar chega como alternativa para a agricultura.

 

O estado de Goiás cedia a 38ª Exposição Agropecuária de Jataí (EXPAJA) junto da 1ª Feira de Tecnologia do Sudoeste Goiano e pretende trazer aos visitantes e produtores o que há de melhor em informação técnica para o aumento da produtividade na região. Em parceria com a Universidade Federal de Goiás, amostras em ciência agrária e palestras vão de assuntos ambientais a motivacional serão atração no evento onde o objetivo é ajudar aos agricultores a aumentar a produtividade da sua atividade.

<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

Para abrir as palestras, o ex-ministro da Agricultura, Alysson Paolinelli discutirá os desafios e perspectivas para a agricultura e pecuária de Goiás. Lembra-se que o ex-ministro foi também um visionário que transformou a região do cerrado brasileiro que antes de nada valia, hoje possui as melhores terras.

 

Jataí concentra a maior produção de Goiás, cerca de 1% para todo o Brasil ou 1,4 milhões de toneladas de grãos por ano entre safras e safrinhas. O município tem produtividade média de 50 sacas de soja por hectare e 180 sacas por hectare em milho das safras, e 90 sacas por hectare resultou da safrinha deste ano. Ou seja, segundo o presidente do sindicato rural de Jataí, Mozart Carvalho de Assis, o município tem tamanha responsabilidade na produção brasileira e precisa cada vez mais aumentar seu potencial em produtividade.

 

Além dos grãos, a região recebe agora oportunidade de cultivar também a cana-de-açúcar. No entanto, Mozart afirma que é preciso agregar alternativas agricultáveis em Goiás, mas não pode perder áreas que são potencialmente produtoras de grãos. Sendo assim, reutilizar as áreas degradadas para cana-de-açúcar e manter as áreas que já existem para o cultivo da soja, milho.

Fonte: Redação NA

Nenhum comentário