EXCLUSIVO: Novos leilões do Governo pressionam mercado futuro do milho, mas movimento deve ser passageiro

Publicado em 11/11/2010 13:38 e atualizado em 12/11/2010 11:01
896 exibições
Milho: Governo anuncia leilão de 317 mil toneladas para o dia 18. Cotações na BM&f caem rapidamente, mas analistas alertam que o movimento é passageiro, pois a quantidade leiloada é mínima, e os fundamentos mostram que os estoques governamentais estão apertados.
O Governo anuncia mais um leilão de 317 mil toneladas de milho para o próximo dia 18. Enquanto isso, as cotações na BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuro) caem rapidamente, mas analistas alerta que o movimento é passageiro já que a quantidade ofertada é baixa e os fundamentos mostram que os estoques governamentais estão apertados.

O representante da Câmara Setorial do Milho, Sebastião Gulla, alerta que as safras brasileiras correm risco na produtividade final caso o fenômeno climático La Niña influencie negativamente o clima no desenvolvimento e colheita. O Paraná prevê redução de 20% na produção de milho. Portanto, a situação para o consumo não é nada confortável.

Segundo ele, os estoques de passagem do Governo devem giram em torno de 5 ou 6 milhões de toneladas, mas o consumo aumentou, cerca de 1 milhões a mais do que em 2009. Com os leilões passados, Gulla lembra que os produtores venderam seu produto antes da alta do mercado internacional, abaixo do preço mínimo. Ele acredita que o Governo não deva vender seu estoque todo, mas reter parte para qualquer emergência.
Por: João Batista Olivi e Juliana Ibanhes
Fonte: Notícias Agrícolas

4 comentários

  • jose renato da silva Uberlândia - MG

    corrigindo meu comnetario, em maio de 2010.

    0
  • jose renato da silva Uberlândia - MG

    Porque o Sr. Sebastião Gulla não alertou o Governo para não deixar a LAMBANÇA acontecer? Em maio/2011 os preços de milho estavam em todos os estados abaixo do preço mínimo, não fando garantia de preço aos produtores. O Governo entra com os leilões de PEP, faz com que os preços sejam reajam e depois vem alguém dizer que o Governo fez lambança? Na reportagem o Sr. Sebastião diz que não havia necessidade do govberno gastar o rio de dinheiro com subsídios, então porque no início dos leilões, ele como representante da cadeia do milho não alertou o Governo do que poderia vir pela frente se ele já sabia?

    0
  • jose renato da silva Uberlândia - MG

    Bom dia,

    O presidente da camara setorial do Milho e Sorgo é o Sr. Cesar Borges e não o Sr. Sebastiao Gulla, como mencionado na reportagem.

    0
  • Luiz Carlos Sobrinho Aparecida de Goiãnia - GO

    - Este Sebastião Gulla, deve de ser muito otimista .
    - Porque na realidade um único leilão deve de acalmar os preços do Milho .
    - Também porque o estoque do governo é grade e ainda tem muito milho nos armazéns e na mão de produtores, que estavam especulando.
    - Depois fevereiro e março já aparece a outra safra .
    - Se o governo precisa de fazer estoque e tiver competecia para isso é só fazer um leilão de MERCADO DE OPÇÃO .
    - SDS

    Luiz Carlos

    0