EXCLUSIVO: Demanda por feijão retrai no início de mês mas, preços seguem estáveis

Publicado em 09/05/2011 12:37 e atualizado em 09/05/2011 16:39 479 exibições
Feijão: preços do carioca se mantém estáveis mas demanda no início do mês está abaixo do esperado. Feijão de qualidade ruim da safra passada não estimula consumo.

Mercado calmo para o feijão neste início de maio. Existe um bom volume do produto ofertado no mercado, que vem ganhando fôlego com o desenvolvimento da segunda safra nas regiões produtoras. No final deste mês, o produto da segunda safra já deve entrar no mercado com maior intensidade e a expectativa é de que o grão seja de melhor qualidade.
Nas principais regiões produtoras, a saca de 60 kg é comercializada hoje entre R$ 60,00 a R$ 100,00, em média. Na Bolsinha, em São Paulo, como ainda persiste o problema da falta de qualidade do grão, o feijão nota 8 para baixo é comercializado entre R$ 60,00 a R$ 90,00 a saca de 60 kg.

Segundo a analista da Safras e Mercado, Carla Michele Corbeti, os preços do feijão carioca seguem estáveis no mercado, apesar da retração da demanda e do bom volume de oferta. "Este início de mês está sendo mais fraco em termos de vendas... ainda há a presença de feijão de qualidade inferior remanescente da primeira safra. Ainda tem o problema de qualidade que ainda persiste no mercado. Os preços estão estáveis, mas a retração da demanda e a boa oferta impede a alta dos preços", comenta.

Na semana passada o governo aprovou o recurso de um milhão de reais para compras de feijão do estado de Goiás por meio de AGF, Aquisições do governo Federal visando garantir o preço mínimo.

De acordo com a analista, uma possível pressão dos preços com a entrada da segunda safra no mercado dependerá da intesindade da demanda. "Por enquanto as cotações devem permanecer estáveis", diz.


Feijão Preto


No mês de abril, o Brasil importou cerca de 90% de feijão preto da China e da Argentina, onde a colheita se desenvolve. "Isso foi um fator que acabou comprometendo a comercialização do produto produzido internamente"


Nas regiões produtoras o preço da saca de 60 kg gira em torno hoje de R$ 60,00 a R$ 70,00.  "A maioria da oferta disponível é de importações, o que acaba compromentendo as cotações, já que o mínimo estipulado pelo governo é de oitenta reais", comenta.

Por:
Aleksander Horta e Marília Pozzer
Fonte:
Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Petronilha Batista Muzambinho - MG

    TUDO BEM COM O FEIJÃO, mas precisa melhorar, e vamos em frente com site que mais informa o produtor rural, obrigada por nos informar enqto os demais veiculos sonegam o que nos é de direito, saber como proceder com nossa produção

    0