EXCLUSIVO: Redução do preço mínimo do feijão pode desestimular o plantio da safra de verão

Publicado em 01/06/2011 12:05 e atualizado em 01/06/2011 15:20 781 exibições
Feijão: governo anuncia redução de 10% no preço mínimo do produto que passaria de R$80,00 para R$72,00/saca. Medida pode desestimular ainda mais o plantio da safra de verão.

O governo quer reduzir em 10% o preço mínimo do feijão em todas as regiões produtoras. O valor mínimo para a safra 2011/12, que tem início no dia 1º de julho, passará de R$ 80,00 para R$ 72,00. Com a redução, a intenção do governo é cobrir os custos de produção, porém o incentivo para o plantio do grão na safra de verão deve ficar comprometido, principalmente com os preços favoráveis de outras culturas, como soja, milho e algodão.

Hoje, o saca de 60 kg do feijão carioca de boa qualidade gira em torno de R$ 120,00 a R$ 125,00 em São Paulo. O grão comercial está bastante depreciado pelos compradores em função da queda da demanda, e hoje é cotado em torno de R$ 80,00 a R$ 85,00. Já o feijão preto não ultrapassa o preço mínimo e hoje o valor pago ao produtor gira em torno de R$ 70,00. "São situações bastante complicadas. Se esse preço mínimo novo passar a vigorar pode afetar sem dúvida nenhuma a produção do ano que vem e pode ter impacto inclusive na inflação do ano que vem", explica Marcelo Luders da Correpar.

Marcelo acredita que possa haver recuperação dos preços nos próximos meses, já que existe uma expectativa de que o volume disponível no mercado para o mês de julho e início de agosto seja menor do que a demanda, principalmente no caso do feijão extra. "No caso do comercial vai ser bastante diferente. Existe um volume interessante do feijão comercial no mercado", conclui.

Por:
Aleksander Horta e Marília Pozzer
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário