EXCLUSIVO: Desestimulados, produtores de feijão devem reduzir área plantada no segundo semestre de 2011

Publicado em 06/06/2011 14:19 e atualizado em 06/06/2011 16:36 421 exibições
Feijão: mesmo menor, entrada da safra do Paraná pressiona preços. Produtor que possui grão de qualidade deve fazer vendas escalonadas para conseguir remuneração. Produção pode perder área no segundo semestre para o milho, após redução do preço mínimo.

 

A entrada da segunda safra de feijão do Paraná no mercado tem pressionado os preços, apesar da queda na área plantada. Porém, o momento do pico de oferta acontece agora, pois há a expectativa de que a produção do grão perca área para o milho no segundo semestre deste ano.

Segundo Marcelo Lüders, consultor de mercado da Correpar, o produtor de feijão está desestimulado com o anúncio de redução para o preço mínimo estipulado pelo Governo na última semana. Essa redução acontecerá também para outros produtos agrícolas brasileiros e deve enfraquecer o cultivo de outras culturas. É a primeira vez na história que o Governo tomará uma medida como esta.

Por outro lado, a qualidade do feijão colhido ainda é o diferencial que remunera o produtor. Ao invés de segurar o produto à espera dos melhores preços, Lüders aconselha vendas escalonadas a fim de não prejudicar a qualidade do grão que está valendo em média até R$ 100,00 por saca.

Por:
João Batista Olivi e Juliana Ibanhes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário