EXCLUSIVO: Mercado corrige preços com avanço do plantio nos Estados Unidos e segue pressionado

Publicado em 14/06/2011 13:39 e atualizado em 14/06/2011 16:26 394 exibições
Grãos: avanço no plantio norte-americano pressiona pelo segundo dia as cotações em Chicago. Milho trabalha no seu limite de baixa, enquanto a soja perde acima de 16 pontos (principais vencimentos). Mas fundamentos dão suporte para a alta, inclusive no Brasil.

Com queda de quase 30 pontos na Bolsa de Chicago, a soja e o milho trabalham desde a semana passada em movimento de correção de preço após números do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês) confirmarem o avanço do plantio no país. Diante do novo cenário, o temor sobre redução no plantio e produtividade pressiona o mercado dos grãos.

Flávio França, analista da Safras e Mercado, aconselha cautela neste momento aos produtores brasileiros já que os preços do cereal no mercado interno também sentem a pressão da baixa. Segundo ele, a colheita pelo Brasil avança e números do Mato Grosso são positivos, causando surpresa para o mercado após problemas com estiagem na lavoura.

Por outro lado, os trabalhos estão apenas começando. Para França, ainda há muita expectativa sobre a colheita e ainda há risco climático ameaçando o campo. O alerta é para aqueles que estão colhendo ir aproveitando para realizar vendas compassadas a fim de aproveitar os altos preços do mercado.

Ao contrário do milho, a soja da safra 2010/11 já está quase que 70% comercializada. O produtor soube aproveitar os momentos de pico de alta e fez média de vendas se antecipando no lucro para enfrentar a atual pressão o mercado internacional.

Apesar da baixa, o analista afirma que os preços permanecerão no suporte dos fundamentos pelo médio e longo prazo.

Por:
João Batista Olivi e Juliana Ibanhes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário