DA REDAÇÃO: Melhora nas exportações e baixa oferta reanima mercado de suínos

Publicado em 08/07/2011 13:41 e atualizado em 08/07/2011 15:19 459 exibições
Suínos: melhora na exportação aquece o mercado. Mas momento é de cautela já que o custo de produção deve aumentar ainda mais com a incerteza sobre o abastecimento interno do milho após perda com geada no Paraná.
Mercado de suínos dá sinais de reação nesta semana. Após o colapso do setor nos últimos meses, o preço do suíno vivo teve reajuste positivo em São Paulo, com a arroba sendo negociada a R$ 48,00. Segundo o presidente da APCS, Associação Paulista dos Criadores de Suínos, Valdomiro Ferreira Junior, a firmeza do mercado se consolida com o bom ritmo das exportações e com baixa oferta de animais, contrariando a tendência firme para o período do ano.

Mesmo com o reajuste, o elevado patamar dos grãos que compõem a dieta dos animais ainda preocupa os suinocultores. A saca do milho é comercializada hoje em torno R$ 31,00 e a tonelada do farelo ao redor de R$ 600,00. "A relação de troca ainda não é saudável. Uma arroba suína compra de 1.5 a 1.6 sacos de milho. O ideal é em torno de 2.3 a 2.5", comenta.

Valdomiro recomenda cautela aos produtores já que, apesar da valorização dos preços, estes ainda se mantém bem aquém dos custos de produção que giram hoje em torno de R$ 52,00 a R$54,00 em São Paulo para uma produtividade de 25 terminados/porca/ano. O custo de produção deve aumentar ainda mais com a incerteza sobre o abastecimento interno do milho após as perda com a geada no Paraná. "Não há garantia de abastecimento para o segundo semestre", alerta.

Por:
João Batista Olivi e Marília Pozzer
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário