DA REDAÇÃO- Feijão: compradores evitam novas aquisições na expectativa de que preços cheguem aos R$ 100/ saca

Publicado em 14/07/2011 12:16 e atualizado em 15/07/2011 07:36 601 exibições
Feijão: queda de braços entre produtores e indústrias deve aumentar. De um lado, produtores não querem perder os atuais patamares de 125 a 130 reais e seguram o produto. De outro lado, os compradores evitam novas aquisições na expectativa de que preços cheguem aos 100 reais por saca.
Mercado do feijão carioca segue instável. Os preços de referência da saca de 60 kg sofreram reajustes negativos para R$ 120,00 diante dos preços de até R$ 135,00 praticados na última semana. De acordo com Marcelo Lüders da Correpar, a oferta é pequena mas, é a retração da demanda, típica no período de férias escolares, o principal motivo que traz pressão aos preços.

Segundo Lüders, hoje há uma queda de braços entre produtores e indústrias, que só deve aumentar. De um lado, produtores não querem perder os atuais patamares de 125 a 130 reais e seguram o produto. De outro lado, os compradores evitam novas aquisições na expectativa de que preços cheguem aos 100 reais por saca.

A sugestão é que o produtor, que tem a totalidade do seu produto a ser colhido de uma única vez, divida o volume em lotes para vender gradativamente e, assim, garantir lucro. "Vende um pouco a semana que vem, vende no final do mês, é a única maneira de ele tentar buscar um preço médio razoável e passar por esse momento um pouco complicado da comercialização do feijão", comenta.

Já para o feijão preto, as importações da China ajudam a abastecer mercado e vários empacotadores saem das compras internas. Mercado segue estável porémos patamares de preços já desestimulam o produtor

Por:
Aleksander Horta e Marília Pozzer
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário