DA REDAÇÃO: Estoques mundiais apertados devem sustentar preços do curto ao médio prazo, afirma consultor

Publicado em 03/08/2011 19:03 567 exibições
Grãos: mercado realiza lucros após forte alta em Chicago nesta quarta-feira. Empresas privadas já estimam redução da safra norte-americana e confirma fundamento dos estoques baixos, com preços sustentados do curto ao longo prazo.

A incerteza na economia macroeconômica faz as cotações da soja, milho e trigo realizarem lucros na Bolsa de Chicago nesta quarta-feira (03) após as forte altas do dia anterior. Apesar da influência, a especulação sobre a produção da safra norte-americana frente aos estoques mundiais reduzidos devem sustentar os preços do curto ao longo prazos.

Segundo Carlos Cogo, da Consultoria Agroeconômica, o mercado dos grãos já encontrou um patamar de preços onde a oscilação na CBOT gira em torno de US$ 14,00 por bushel para a soja e US$ 7,00/bu.

Além da crise financeira que paira sobre grandes potencias mundiais, há uma forte especulação sobre o rendimento das safras dos Estados Unidos. Empresas privadas começam a estimar uma redução da produtividade abaixo do que é esperado pelo próximo relatório de oferta e demanda que o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) irá divulgar no próximo dia 11 de agosto.

As expectativas apontam para uma maior queda na produção do milho que sofreu com forte calor e seca na região do Corn Belt no desenvolvimento que acontece em julho. A meteorologia prevê temperaturas mais amenas em agosto, o que deve ajudar no enchimento dos grãos da soja. Apesar do clima, a oleaginosa também deverá perder em produtividade.

Cogo lembra que frente a toda essa especulação está o fundamento que pode dar suporte aos preços do curto ao longo prazos até o próximo ano que é a baixa quantidade de grãos nos estoques mundiais. Mesmo com a demanda desaquecida por conta do cenário financeiro, números apontam que menor produção será insuficiente para atender a demanda por alimentos no mundo.

No Brasil, a queda na produtividade da safrinha de milho eleva os preços no mercado interno, com a saca valendo R$ 30,00 no Porto e R$ 32,00 no interior do Brasil. Ascensão dos valores já se descolam de Chicago, com a produção de inverno precificada para produtores por conta das perdas causadas pela adversidade do clima.

Por:
João Batista Olivi e Juliana Ibanhes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário