ENTREVISTA: Confira a entrevista com Glauco Monte - Consultor da FCStone

Publicado em 10/08/2011 18:55 378 exibições
Grãos: dia de muita volatilidade em Chicago, com mercado à espera do relatório de oferta e demanda do USDA desta quinta-feira. Redução na safra norte-americana traz suporte aos preços como fundamento para alta. Crise no mercado financeiro pode afetar a demanda.

Na expectativa do relatório de oferta e demanda que o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês) divulgará nesta quina-feira (11), o complexo de grãos operou de lado na Bolsa de Chicago no pregão diurno desta quarta-feira (10). A soja fechou o dia com alta, enquanto que o milho caiu ainda refletindo incerteza sobre o futuro da economia mundial.

A tensão dos mercados está no reporte de redução no rendimento da safra tanto do milho quanto da soja pelo USDA e assim, voltar os mercados para o suporte dos fundamentos.

Segundo Glauco Monte, consultor da FCStone, as condições climáticas do último mês, quando uma forte onda de calor prejudicou o desenvolvimento do milho no meio oeste norte-americano, traz perdas irreversíveis para o cereal que lembra seus estoques reduzidos. Para a soja, ainda há tempo para que o clima favoreça em agosto uma recuperação das perdas já que a oleaginosa enche os grãos nesta época.

Do lado financeiro, a turbulência sobre as economias pode brecar o avanço do consumo. Para Monte, os grãos ainda tem no lado fundamental o suporte para novas altas dos preços.

Diante deste cenário, com o dólar se recuperando e a soja perdendo em Chicago, o consultor aposta que o produtor ainda possa vender seu produto disponível, em lotes menores, pois ainda é incerto o futuro da economia mundial e, por enquanto, os preços ainda estão em bons patamares.

Por:
João Batista Olivi e Juliana Ibanhes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário