DA REDAÇÃO: Discurso de Obama não surte efeito no mercado, que registra queda acentuada

Publicado em 09/09/2011 13:33 e atualizado em 09/09/2011 16:57 452 exibições
Grãos: indefinição na crise financeira no mundo traz mais um dia de forte volatilidade para a Bolsa de Chicago. Novo relatório do USDA na próxima segunda-feira (12) pode dar novo direcionamento para os preços. Mercado é altista.
Mesmo após o discurso empolgante de Barack Obama na noite desta quinta-feira (08), em que foi anunciada a injeção de US$ 480 bilhões na economia, o mercado inicia o dia com forte baixa. De acordo com Pedro Dejneka, analista de mercado, isso acontece porque Obama perdeu a “mágica” que tinha em seus discursos na época em que era candidato à presidência.  “Os americanos não acreditam mais em discursos após discursos e pouca ação”, diz.

A expectativa agora é pelo relatório do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), que será divulgado na próxima segunda-feira. “Ele é muito importante para dar uma idéia do que o USDA está pensando e quais são os dados que vamos trabalhar nos próximos meses”. Com relação ao macro, após as altas recentes, Dejneka acredita em novas quedas, mesmo prevendo que ainda sejam registradas novas altas no curto prazo (no próximo mês).

O analista lembra que os preços atuais da soja estão três dólares acima do que foi registrado no ano passado. Ele não tem dúvidas de que a hora é ideal para venda, na verdade, “já era para estar vendendo, principalmente quando bateu US$ 14,40 (por bushel)”.

Quanto à especulação de que a soja possa alcançar os US$16/bushel, Dejneka é cauteloso. “O pessoal está achando que vai subir, mas tem que tomar muito cuidado”, alerta. Ele acredita nas previsões altistas no curto prazo para a oleaginosa, porém prevê que a alta do milho tende a ser maior que a da soja.

Por:
João Batista Olivi e Fernanda Cruz
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário