DA REDAÇÃO: Boi gordo mostra recuperação, sendo vendido a R$97 em SP

Publicado em 29/09/2011 13:50 e atualizado em 29/09/2011 18:31 421 exibições
Boi Gordo: recuperação do mercado eleva preços no balcão até R$ 97,00/@. As indústrias se preparam para o início do mês de outubro reabastecendo os estoques do varejo. Sul do MT e GO ainda sentem a pressão da oferta maior de animais do confinamento.
Boi gordo está longe da pressão que baixou os preços a R$94 e R$95 à vista em São Paulo. Há algumas semanas, no mercado físico, ele vem recuperando os preços, estabilizando em R$97/balcão em várias praças. As escalas de 5 e 6 dias, em média, fazem negócios a R$98 e a R$100 reais, com 40 a 45 dias, em média, de prazo.

O período que se aproxima, de início de mês, tem melhor consumo. Com isso, a indústria está refazendo o estoque de câmara fria e alguns frigoríficos até se preparam para a entrada da primeira parcela do 13º salário. “Muita gente aposta num inicio de mês forte para o consumo do atacado”, diz Caio Junqueira, da Cross Investimentos.

Os frigoríficos menores, sem capacidade de fazer longos contratos, tem forte vontade de comprar. Já as grandes indústrias estão mais confortáveis, fazendo escalas dia 14, 17 e 18.  Elas possuem, ainda, bastante reserva de escala.

Na visão do analista, a chance de o mercado entrar outubro, em São Paulo, com cotações a R$101 ou R$102 é baixa. Para ele, os preços no estado estão no limite e devem trabalhar nos patamares do preço encerrado hoje. “Até R$98 à vista; não deve furar esse patamar”, diz. Em Mato Grosso do Sul, o boi de é vendido a R$95 para 30 dias e deve estacionar nesse valor.

No estado de Goiás, o mercado está extremamente pressionado com a oferta de boi de cocho. O Sul do Mato Grosso também enfrenta esse problema, por conta do volume de boi de cocho ofertado. Já o Norte desse estado registra pressão para cima. Porém, conforme a falta de boi nessa região acentua, as indústrias passam a buscar bois na região Sul do Mato Grosso.

Por:
João Batista Olivi e Fernanda Cruz
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário