DA REDAÇÃO: Nematóide Pratylenchus pode reduzir pela metade produtividade da soja

Publicado em 03/10/2011 13:49 e atualizado em 03/10/2011 18:06 432 exibições
Estiagem prolongada faz aumentar a incidência de nematóides nas lavouras brasileiras. Ataque de vermes do solo provoca o apodrecimento da raiz e encurta ciclo de vida da planta. Aprosoja faz campanha para recuperar área de produção através das práticas de manejo.
A incidência do Nematóide Pratylenchus, segundo a Aprosoja Brasil, tem aumentado muito nas últimas safras e reduzido significativamente a produtividade da oleaginosa em algumas lavouras do país. De acordo com Naildo da Silva Lopes, Coordenador da Comissão de Gestão de Produção da entidade, além da soja, o parasita pode atacar aveia, milho, girassol, cana-de-açúcar, algodão, amendoim, adubo verde, erva daninha, entre outros e reduzir em até 50% a produtividade.

Diferente dos nematóides de galha e de cisto, que podem ser controlados com produtos químicos, o Pratylenchus só é solucionado com manejo. “Os produtos químicos de hoje não controlam os nematódies, eles podem amenizar algum efeito, mas são muito caros”, diz.

O Pratylenchus é um parasita que lesa a raiz das plantas, apodrecendo-as. “Existem poucos estudos sobre a ação e perdas dele”, diz Naildo. Por isso, a Aprosoja buscou auxilio da Embrapa, da Universidade de Viçosa, da Fundação Mato Grosso e da Fundação Rio Verde. Num exemplo de safra infestada pelo nematóide, foram produzidas na faixa de 22 a 35 sacas/hectares, volume inviável para o produtor. Após o manejo, a quantidade aumentou para 52 a 59 sacas/hectare.

O combate ao parasita depende de cada caso, mas é feito com atividades de manejo. “A gente usa alguns tratos culturais e rotação de cultura”, diz. Não necessariamente a terra é revirada, pois isso “pode até aumentar a infestação”, explica Naildo. O pousio, solução que implica prejuízo ao agricultor, também é levado em conta.

Por:
João Batista Olivi e Fernanda Cruz
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário