DA REDAÇÃO: Conab acompanha tendência e reduz área plantada com feijão em até 10% na próxima safra

Publicado em 06/10/2011 14:15 e atualizado em 06/10/2011 16:37 563 exibições
Feijão: Conab reduz em até 10% área plantada na próxima safra, com produtores migrando para o cultivo de soja e milho. Momento é de estabilidade de preços até que as vendas no varejo estimulem alta no repasse para o produtor.

 

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou nesta quinta-feira (06)sua estimativa para a próxima safra a ser plantada com feijão reduzindo a área total entre 8 e 10% com relação à última temporada. A área desse período é estimada em 1.310 milhão de hectares ante aos 1.700 milhão da safra passada.

Segundo Marcelo Lüders, da Correpar, as projeções acompanham as previsões dos analistas que reconhecem a falta de estímulo para o produtor plantar feijão frente aos bons preços internacionais dos grãos. Ou seja, as lavouras que antes tinham feijão darão lugar principalmente à soja e ao milho nesta safra de verão.

Por outro lado, os trabalhos continuam por aqueles que tem na atividade uma fonte principal de renda e a confirmação sobre a área total plantada só será certa entre fevereiro e março de 2012. Para Lüders, o grão plantando mais tarde tem perspectiva de valer mais no período da colheita.

Mercado

O mercado do feijão entra em tendência de estabilidade de preços no curto prazo já que os supermercados têm tido dificuldade em repassar os preços no varejo, aliado ao aumento no custo dos produtos da cesta básica do consumidor. Lüders explica que será preciso esperar uma reação do varejo para que os valores voltem a ser reajustados.

Ao produtor de Goiás e Minas Gerais, a saca de 60 quilos do grão está valendo entre R$ 100,00 e R$ 105,00. Em São Paulo, o valor chega a R$ 110,00.

Considerada lavoura de risco, a tendência de redução na área pode se confirmar com os custos elevados da produção. Após perdas na produtividade da última temporada em Goiás e Minas Gerais por conta do tempo frio, a produção do feijão irrigado passa a equivaler R$ 90,00 por hectare, reduzindo a margem de lucro com a saca valendo pouco mais de R$ 100,00.

O consultor do mercado afirma que o preços de R$ 110,00 ainda não é suficiente para estimular o plantio na região Sul do Brasil que calcula um custo para produzir feijão em R$ 80,00 por hectare.

Por:
João Batista Olivi e Juliana Ibanhes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário