DA REDAÇÃO: Dia de forte alta no complexo de grãos em Chicago na véspera de relatório decisivo do USDA

Publicado em 11/10/2011 18:58 773 exibições
Grãos: dia de forte alta em Chicago marca a expectativa do mercado com o último relatório de oferta e demanda do USDA da quarta-feira (12). Compra de posições por parte dos fundos de investidores, boato de volta da China às compras e recentes baixas das cotações explicam recuperação da terça-feira.

 

A terça-feira (11) foi marcada por expressiva alta do complexo de grãos na Bolsa de Chicago. Às vésperas do último relatório mensal de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), a soja fechou o dia com quase 60 pontos de alta, o trigo com quase 50 e o milho no limite de alta.

Direto de Chicago (EUA), o analista da RJ O’Brien, Pedro Dejneka explica que o principal fator de sustentação para as cotações foi a volta dos compradores ao mercado. Com as recentes baixas dos preços, os consumidores aproveitam as oportunidades e os preços mais atrativos para garantir seu produto e alguns consumos a frente. Não há confirmação de que seja a China o principal comprador do dia.

Além disso, o apetite dos compradores não é o único suporte aos preços. Os fundos de investimento também retornam às commodities agrícolas favorecendo as altas registradas no complexo de grãos. O objetivo agora é a cobertura de posições vendidas. A espera do relatório do USDA, os traders almejam um posicionamento mais favorável, já que o que se observou nos últimos dias foi um mercado bastante sobrevendido.

Dejneka ainda lembra que a forte especulação sobre os números do USDA desta quarta-feira (12) serão decisivos para o futuro dos preços na CBOT. Estimativas controversas entre consultorias privadas confundem e divergem quanto à expectativa do departamento.

Porém, não fosse a crise na macroeconomia do mundo, os fundamentos de baixos estoques norte-americanos seriam suficientes para elevar as cotações na bolsa.

Por:
João Batista Olivi e Juliana Ibanhes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário