DA REDAÇÃO: Produtor faz greve de fome contra suposta máfia dos mercadores de sentenças

Publicado em 24/10/2011 12:57 e atualizado em 24/10/2011 16:45 362 exibições
Produtor rural da região de Sinop (MT) faz greve de fome em frente ao Tribunal de Justiça de Cuiabá contra a máfia dos mercadores de sentenças. Manifestação deve continuar até o próximo dia 27.
Clayton Marques Arantes, de 52 anos, produtor rural da região de Sinop (MT), acampa desde quinta-feira (20) em frente ao Tribunal de Justiça do Mato Grosso, em greve de fome (ingerindo apenas água e bebidas isotônicas), em protesto contra uma suposta “máfia dos mercadores de sentenças”.

O esquema seria liderado pelo juiz Paulo Martini, que responde pela 1ª e 2ª varas da comarca. Segundo o produtor, contra o juiz existem várias denúncias, inclusive em Brasília, que pediriam o seu afastamento. “Os julgamentos desse juiz não estão sendo imparciais”, afirma o produtor.

Clayton reclama de um processo que envolve o cancelamento da “compra e venda” de suas terras (968 hectares no valor de R$15 milhões) por descumprimento da outra parte. O juiz Paulo Martini não teria seguido os trâmites normais da justiça ao não aceitar uma documentação em cópia autenticada. O juiz teria pedido o original e “quando a gente entregou o original, ele (o juiz) falou que já tinha prescrito o prazo”, diz Clayton.

Todos os recursos posteriores foram negados devido a não aceitação dos documentos, conforme relata Clayton.  Agora, ele espera que o caso chegue ao Conselho Nacional de Justiça por meio a ministra Eliana Calmon que irá para Cuiabá. “Vamos entregar oficialmente essas denúncias, que já foram protocoladas no Tribunal de Cuiabá”, diz.

Por:
João Batista Olivi e Fernanda Cruz
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário