DA REDAÇÃO: Preços dos grãos recuam em Chicago com influência da macroeconomia

Publicado em 04/11/2011 12:27 e atualizado em 04/11/2011 14:25 398 exibições
Soja tem leve recuo em Chicago nesta sexta-feira depois das fortes altas da 5a-feira. Instabilidade no mercado financeiro faz dólar subir. Negócios diminuem. Além disso, produtores recusam-se a negociar nesses preços, à espera de novas altas.
Mercado de grãos recua na sessão desta sexta-feira na Bolsa de Chicago. Os preços trabalham com certa volatilidade diante da ausência de novidades no campo fundamental e das incertezas que ainda acompanham o cenário financeiro. As negociações das commodities agrícolas seguem o desempenho negativo das bolsas de valores da Europa e dos Estados Unidos.

De acordo com o analista de mercado da Cerelapar, Steve Cachia, os produtores americanos seguem com suas produções estocadas na expectativa de que os preços arranquem. No Brasil quase 90% safra velha foi vendida e um terço da safra nova já foi negociada antecipadamente. "Os produtores brasileiros também estão em uma situação que podem esperar um certa melhora no futuro", comenta.

Com base nos fundamentos para a soja, o analista acredita que a oleaginosa possa novamente ultrapassar os patamares dos U$ 13 por bushel diante dos estoques mundiais diminuídos e a demanda fortalecida.

Entretanto, a direção dos preços da soja ainda é indefinida, apesar da tentativa de recuperação. O mercado começa a criar expectativa em torno da possibilidade de um relatório do USDA de novembro positivo para a direção dos preços na próxima semana. De acordo com o analista, de um modo geral, o mercado de commodities agrícolas ainda deve sofrer influência direta do cenário macroeconômico no curto prazo.

Por:
João Batista Olivi e Marília Pozzer
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário