DA REDAÇÃO: Demanda aquecida para o boi gordo faz preços chegaram ao ápice com tendência de mais altas até o final do ano

Publicado em 11/11/2011 14:13 e atualizado em 11/11/2011 17:03 738 exibições
Boi gordo: com cenário promissor de demanda aquecida até as festas de final de ano, mercado tem espaço para novos reajustes de preços em todas as praças pecuárias do Brasil. Negócios acontecem em São Paulo em até R$ 105/@ à vista, diante da escassez da oferta de animais.
O mercado para o boi gordo tem se beneficiado de forte demanda, que não deve regredir em função das festividades de final de ano e pagamento do 13º salário. A oferta restrita durante o mês de Novembro ocorre devido à estiagem no Centro Oeste, que comprometeu a qualidade das pastagens. Com isso, o boi de pastagem não se desenvolveu, ficando inapto para abate. “Ele deve chegar ao mercado a partir do mês de dezembro”, afirma Fernando Henrique Iglesias, analista da Safras & Mercado.

Nesse contexto, os frigoríficos enfrentam dificuldades para compor as escalas de abate, o que eleva os preços em São Paulo para até R$105 à vista. A situação é mais notável em frigoríficos de menor porte, que fazem escalas mais curtas, de 2 a 3 dias úteis . Já os maiores têm mais ferramentas de negociação e, por isso, conseguem escalas mais longas. Porém, “a dificuldade é recorrente e independente do tamanho do frigorífico”, diz.

Nesta sexta-feira (11), o mercado esteve lento, com a proximidade do feriado da terça-feira (15). Mas, na quarta-feira (16), ele deve voltar aquecido. Entretanto, não a ponto de passar os preços alcançados em 2010, quando o boi gordo chegou a valer R$115 em São Paulo. O analista prevê um teto de R$110.

Por:
João Batista Olivi e Fernanda Cruz
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário