DA REDAÇÃO: Poucos negócios no mercado do boi gordo porém, pressão altista continua sobre as cotações

Publicado em 14/11/2011 13:14 e atualizado em 14/11/2011 14:28 472 exibições
Boi gordo: poucos negócios acontecem nesta segunda-feira por conta do feriado de 15 de novembro, mas pressão altista continua sobre as cotações da arroba. Falta animal terminado na maioria das praças pecuárias do país. Demanda aquecida deve ser confirmar pelas próximas semanas.
Segunda-feira de poucos negócios no mercado do boi gordo. Ainda assim, a pressão altista prossegue diante da falta de animais para abate, das escalas de abate curtas e damanda por carnes sustentada.

De acordo com o analista da Scot Consultoria, Alex Santos Lopes, a necessidade por compra de bois por parte dos frigoríficos aumenta a cada dia. "Quem não conseguir fazer negócio hoje, vai ter que abrir a quarta-feira com uma necessidade de compra bem maior, possivelmente com preços maiores para agilizar o processo de compra de matéria-prima", comenta.

Em São Paulo, hoje a arroba é negociada a R$ 105 a R$ 106, à vista e de R$ 107 a R$ 108, a prazo, variando de acordo com a necessidade dos frigoríficos. Negócios abaixo desses valores dificilmente acontecem. As escalas de abate atendem em média de 2 a 3 dias no estado.

As praças vizinhas também puxam altas. Em Mato Grosso do Sul, os negócios já acontecem ao redor do R$ 98/@, à vista. De acordo com o analista, além da pressão de compra por parte de indústrias locais, a demanda dos frigoríficos paulistas impulsiona as altas do preço na região. Mesmo assim, há dificuldade nas compras até em regiões pouco mais ofertadas, como é o caso do estado. " O pasto ainda não está em volume para terminar animal e o confinamento está praticamente do fim", ressalta.

A demanda aquecida deve se confirmar pelas próximas semanas, o que deve deixar o cenário firme para os preços.

Por:
Aleksander Horta e Marília Pozzer
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário