DA REDAÇÃO: Exigências de preservação ambienta do novo Código Florestal deve se adequar à realidade de produtores de baixa renda

Publicado em 17/11/2011 13:19 e atualizado em 18/11/2011 09:57 274 exibições
Com base no IBGE, FGV conclui estudo mostrando que 10 milhões de produtores agricultores vivem de subsistência, em extrema pobreza. São eles os maiores atingidos pelo Código Florestal. Exigências de preservação de APPs precisam adequar-se à realidade dos produtores de baixa renda.
De acordo com os microdados do último do Censo Agropecuário do IBGE, em cerca de 2,8 milhões das propriedades rurais brasileiras pratica-se a agricultura de subsistência . Considerando uma família de três pesoas, cerca de 10 milhões de produtores plantam o que comem atualmente. Diante desta realidade, as exigências de preservação de APPs e Reserva Legal do novo Código Florestal devem se adequar às condições da classe já que trazem prejuízos diretos aos produtores de baixa renda.

A pesquisadora do IBGE/FVG, Ignez Vidigal Lopes explica que a grande maioria dos produtores rurais vivem hoje em estado de extrema pobreza. "Neste grupo dos mais pobres, a renda anual é de 4.360 reais. Isso é o valor das vendas, sem abater os valores de insumos que eles usam. A metade deles, ou seja, mais de um 1,2 milhão de estabelecimentos, tem uma renda anual de 1200 reais", comenta.

Segundo a pesquisadora, os produtores desta categoria não apenas contam com a renda da produção agrícola como também dependem da aposentadoria e de programas de ajuda governamental para sobreviverem. "Então, são pessoas que não podem ter nenhuma parcela de sua área subtraída para reposição. Se não exigissem deles a reposição da Reserva Legal, não teria tanto impacto e livraria um número muito grande de produtores, que representa 88% dos estabelecimentos, das questões legais que estão envolvidos", enfatiza.

De acordo com o levantamento, as grandes propriedades do Brasil correspondem 1,78% do total, cerca de 100 mil estabelecimentos rurais. As médias propriedades correspondem a 238 mil, de até 15 módulos, o que equivale a 60 hectares. Abaixo desta extensão, estão 4,5 milhões de propriedades, sendo que, deste montante, 1,3 milhão de pequenos agricultores possuem menos de 60 hectares. 

Por:
João Batista Olivi e Marília Pozzer
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário