DA REDAÇÃO: Funai amplia reserva indígena Kayabi em quase 1 milhão de hectares e inviabiliza exploração de calcário em mina

Publicado em 02/12/2011 13:43 e atualizado em 02/12/2011 16:59 341 exibições
Reserva Kayabi aumenta para 1.053 mi de ha e alcança jazida de calcário do Mato Grosso. Funai continua com procedimentos de ampliações de áreas indígenas já demarcadas no Brasil, apesar de o Supremo Tribunal Federal ser o órgão competente para o feito.
A reserva indígena Kayabi teve seu território ampliado pela Funai, passando de 117 mil hectares para 1.053 milhão a fim de acomodar somente um total de 69 índios. Incrustada nessas terras, na divisa entre o Mato Grosso e o Pará, há uma mina de calcário, onde a Aprosoja esperava atrair investimentos externos para explorá-la. 

Carlos Fávaro, novo presidente da Aprosoja, acredita que a Funai “passou dos limites”, com o pretexto de defender o interesse dos índios. Com essa atitude, a entidade estaria travando o crescimento do país, “a Funai está equivocada”, afirma.

Uma frente parlamentar irá instalar uma Comissão Especial para debater o assunto. O objetivo é preservar os direitos dos índios, mas também permitir a exploração da região, “quem tem que legislar sobre isso é o congresso nacional e não a Funai”, diz.

Fávaro destacou o movimento de protesto organizado para reverter a situação, chamado “S.O.S. Jazida de Calcário”, que teve seu lançamento nesta sexta-feira, às 15h.

Por:
João Batista Olivi e Fernanda Cruz
Fonte:
Notícias Agrícolas

2 comentários

  • Roberto Carlos Maurer Almirante Tamandaré do Sul - RS

    Não concordo com Sr. Carlos Favero não basta defender somente a jazida de calcário precisamos aproveitar o desparato da Funai em dar 15260hectares a cada índio, e tentar tirar a credibilidade desmoralizar frente a opinião publica e aos representantes politicos do Brasil, precisamos é diminuir o poder destas entidades que arrancam os brancos de suas terras e dão a um outro grupo de pessoas achando que todos os pecados cometidos serão perdoados.Gente do meu Brasil o racismos agora é contra o branco ou melhor a quem produz, as pessoas do Brasil são muito acomodada, se fossê em outro lugar do planeta dava peleia.

    0
  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Indio quer apito é bem antigo. Hoje em dia indio quer Hyllux, Celular, Parabólica, Jet Ski e Internet. Talvez um Trator, Mootosserra, Carreta, Patrola, Pista de Avião, Hospital e Supermercado. Onde é que se encontravam nossos representantes politicos quando a legislação concedeu tão amplos poderes à FUNAI, IBAMA, CONAMA, ANVISA, DENATRAN e afins? Isto foi bem no Govêrno daquele protetor dos maconheiros (FHC), que teve o topete de nos chamar de Nefelibatas, inclusive um dos seus discípulos (Aloysio Ferreira)conseguiu colocar uma pedra no nosso sapato na undécima hora da discussão do novo Código Florestal na Comissão de Meio Ambiente do Senado. E agora esta, 1,0 milhão de hectares para 69 índios kayabi. Desejo uma peste para eles serem obrigados a virem para a cidade, experimentar o gostinho da civilização e quem sabe se aculturar oficialmente.

    0