Ibrafe avisa aos produtores de feijão que acordo liberando entrada do grão mexicano no Brasil não deve afetar formação de preços

Publicado em 13/05/2019 12:57 e atualizado em 14/05/2019 12:35
756 exibições
Preços do feijão no mercado interno voltam a se recuperar com recuo da oferta por clima no Paraná e confirmação de menores produtividades com o avanço da colheita
Marcelo Eduardo Lüders - Presidente do IBRAFE

Podcast

Entrevista com Marcelo Eduardo Lüders - Presidente do IBRAFE sobre o Mercado do Feijão

Download

 

LOGO nalogo

De acordo com Marcelo Eduardo Lüders, presidente do IBRAFE, os preços do feijão carioca reagiram nos últimos dias. Na semana passada, houve uma melhor procura, acabando o receio de que os preços poderiam cair ainda mais.

As chuvas no Sul do país contribuiram para essa mudança de expectativa, já que elas vêm dificultando a colheita. Os preços chegaram a R$110 a R$120 reais - em Minas Gerais e Goiás, a R$140.

Para Lüders, os preços em R$110 estavam fora de contexto, principalmente levando em conta as produtividades vistas no campus do Paraná. Os produtores, segundo ele, precisam verificar a média de preço na hora das negociações.

Por sua vez, a ministra Tereza Cristina anunciou acordo com o México facilitando a entrada do feijão. Contudo, Lüders acredita que esse acordo não deve afetar a formação de preços.

A observação do Ibrafe é de que as entidades precisariam ser ouvidas a respeito desse tema, porque além da necessidade de importação, precisa-se abrir o mercado mexicano pra o feijão brasileiro. O presidente destaca a necessidade de reciprocidade.

Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário